Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 16/10 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 16/10 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 16/10 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 16/10 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 16/10 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 15/10 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 15/10 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Ameaças entre Trump e Kim Jong-Un preocupam comunidade internacional

media Trump: armas "posicionadas, travadas e carregadas" Reuters

Alemanha e Rússia expressaram preocupação nesta sexta-feira (11) com o risco de conflito entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, declarou perante a imprensa em Moscou que está “muito preocupado” com a possibilidade de um conflito armado entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos.

“Os riscos são muito altos, sobretudo se levarmos em conta a retórica empregada. Trata-se de ameaças diretas do uso da força”, disse o chanceler russo, durante um encontro com jovens transmitido pela televisão.

O ministro disse ainda que a Rússia “fará tudo” para evitar o conflito. Ele lembrou que Moscou e Pequim já propuseram várias saídas para a crise diplomática, inclusive uma dupla moratória: a interrupção simultânea dos ensaios balísticos e nucleares norte-coreanos e das manobras militares dos Estados Unidos e da Coreia do Sul nas águas do Pacífico.

“Manobras norte-americanas nunca foram proibidas”

Washington, por sua vez, recusa a proposta sino-russa, “alegando que os ensaios nucleares da Coreia do Norte são proibidos pela resolução do Conselho de Segurança da ONU, que deve ser obrigatoriamente respeitado, enquanto que os exercícios militares dos EUA e da Coreia do Sul nunca foram proibidos por ninguém”, explicou o ministro russo.

Segundo Moscou, cabe “ao país forte e mais inteligente” dar o primeiro passo para se afastar da linha de perigo, resolvendo a crise de modo pacifico.

“Fogo e fúria”

De férias no seu clube de golfe na Flórida, o presidente norte-americano Donald Trump voltou a ameaçar o uso da força contra a Coreia do Norte nesta sexta-feira, confirmando que as suas opções militares já foram definidas, estando “prontas” para serem lançadas.

Esta última declaração do presidente norte-americano ecoa a sua promessa desta semana de lançar “fogo e fúria” contra Pyongyang, que, por sua vez, reagiu ameaçando fazer um ataque à ilha de Guam, uma ponta de lança estratégica das Forças Armadas norte-americanas no oceano Pacífico.

Alemanha condena altercação entre Trump e Kim Jong-Un

A chanceler alemã Angela Merkel afirmou que é contrária a qualquer solução militar na Coreia do Norte e denunciou a atual "escalada" verbal entre o líder Kim Jong-Um e o presidente Donald Trump, que ameaçam recorrer às armas.

"Não vejo uma solução militar para o conflito", disse Merkel ao ser questionada sobre uma mensagem no Twitter de Trump, na qual ele afirmou que as opções militares dos Estados Unidos estão "posicionadas, travadas e carregadas, caso a Coreia do Norte atue sem sabedoria".

As últimas declarações de Trump jogam lenha na fogueira da escalada verbal entre o regime norte-coreano e o presidente americano. Na quinta-feira, ele disse que talvez a advertência "não tenha sido dura o bastante”.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.