Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/08 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 13/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 13/08 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Irã acusa administração Trump de "má fé"

media Teste de foguete Simorgh no Imam Khomeini Space Centre, Irã, em foto distribuída pela agência oficial. Reuters

Teerã acusou Donald Trump de fazer prova de “má fé”, em resposta aos recentes propósitos do presidente norte-americano sobre o acordo nuclear assinado em 2015 entre o Irã e as grandes potências

 

O presidente americano “sempre quis matar” o acordo, tuitou o ministro iraniano das Relações Internacionais, Mohammad Javad Zarif, em referência ao texto estabelecido em Viena. “Para evitar o isolamento, ele tenta culpar o Irã”, acrescentou o chefe da diplomacia, acusando Trump de “má fé”.

Na quinta-feira (10), Trump estimou que o Irã não estava respeitando “o espírito” do acordo, declarando ainda estar convencido de que o texto do documento era “horrível”. “Pessoalmente, acho que o Irã não está agindo em conformidade com o tratado”, avaliou Trump.

O acordo entre Teerã e as grandes potências (EUA, França, Reino unido, Rússia, China e Alemanha) prevê que o Irã limite seu programa nuclear a usos civis, em troca do fim progressivo de sanções contra o regime.

Trump não esconde críticas

Contrariamente à administração anterior, de Barack Obama, a atual adota uma atitude hostil em relação ao Irã e critica claramente o acordo nuclear. Trump qualificou o texto de “pior acordo” já assinado pelos Estados Unidos e acusa Teerã de continuar a apoiar grupos extremistas no Oriente Médio.

Washington impôs em julho novas sanções visando o programa de mísseis balísticos do Irã.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.