Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 15/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 15/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Organizadores prometem Parada Gay em Istambul, apesar de proibição

media Parada Gay de Istambul em 2014. AFP PHOTO/BULENT KILIC

Apesar da proibição oficial, os organizadores da Parada do Orgulho Gay LGTBI (lésbicas, gays, transexuais, bissexuais e intersexuais) em Istambul garantiram que o evento vai acontecer no domingo (25), na praça Taksim.

As autoridades locais decidiram não permitir o desfile para preservar “a ordem pública” e “a segurança dos turistas” nessa área, de acordo com comunicado emitido neste sábado (24). Também afirmaram que não haviam recebido pedido formal para a parada e que ficaram sabendo de sua realização pela internet e pela imprensa.

Os organizadores chamam a proibição oficial de “sem fundamento” e afirmaram que a festa vai começar às 17h, horário local, no domingo, como previsto.

Lara Ozlen, do comitê organizador, qualificou de “mentira” as afirmações do comunicado oficial. “Sabiam de nossas intenções há muito tempo, uma vez que apresentamos uma petição há algumas semanas”, declarou à AFP.

Inquietude

A ONG Anistia Internacional (AI) acolheu a decisão das autoridades “com muita inquietude”, de acordo com um comunicado, e pediu à Turquia que cancele a proibição, respeitando a liberdade de expressão e de reunião.

A Parada Gay não é celebrada em Istambul desde 2015, quando, segundo os organizadores do evento, as autoridades a proibiram por coincidir com o mês de ramadã. Em 2016, a festa foi proibida alegando-se motivos de segurança, uma vez que o país tinha acabado de sofrer vários atentados vinculados ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e aos separatistas curdos.

Dispersão com violência

Em ambos os casos, em 2015 e 2016, os manifestantes tentaram levar adiante o desfile, mas foram dispersados com violência pelas forças de segurança.

Antes de 2015, as paradas aconteceram sem incidentes, com a participação de milhares de pessoas em prol dos direitos LGTBI, em um dos maiores eventos do gênero no Oriente Médio.

São Paulo tem maior desfile do mundo

A Parada do Orgulho Gay aconteceu neste sábado em várias partes do mundo, como Paris, Madri e Cidade da Praia, em Cabo Verde. Em São Paulo, o evento aconteceu no último domingo (18), reunindo três milhões de pessoas na avenida Paulista, segundo os organizadores do maior desfile LGTBI do mundo.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.