Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Trump pede a países muçulmanos que isolem o Irã

media "Batalha entre o bem e o mal", assim define Trump a sua guerra contra o terrorismo. REUTERS/Jonathan Ernst

O presidente americano Donald Trump, em viagem à Arábia Saudita, discursou neste domingo (21) diante de representantes de cinquenta nações muçulmanas, entre eles 37 chefes de Estado ou governo.

A fala de Trump, esperada ansiosamente no Oriente Médio, evitou as expressões mais agressivas que o presidente já usou nos Estados Unidos quando se referia aos muçulmanos, sobretudo durante a sua campanha eleitoral.

Em Riad, capital saudita, o presidente abriu seu discurso alegando que era portador de uma mensagem de "amizade, esperança e amor". O terrorismo e o Irã, porém, foram os temas principais da sua fala.

Paz e amor, menos com o Irã

Num momento mais contundente, o presidente pediu a todos os países que trabalhem juntos para isolar o Irã, acusando Teerã de "alimentar os incêndios dos conflitos sectários e o terrorismo".

"Até que o regime iraniano se mostre disposto a ser um parceiro a favor da paz, todas as nações com consciência devem trabalhar juntas para isolá-lo", concluiu Trump.

“Batalha entre o bem e o mal”

Trump fez um apelo à luta contra o "extremismo islâmico", ressaltando que a guerra contra o terrorismo "não é uma batalha entre religiões" ou “diferentes civilizações”. Mas, sim, “uma batalha entre criminosos bárbaros que tentam destruir a vida humana e pessoas de bem de todas as religiões que buscam protegê-la. É uma batalha entre o bem e o mal", disse o presidente norte-americano.

O presidente pediu aos países muçulmanos que se recusem a se tornar "santuários de terroristas", e anunciou um acordo com os países do Golfo para lutar contra o financiamento do terrorismo.

 

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.