Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Trump recebe Erdogan em Washington em meio à crise sobre apoio à milícia curda

media Os presidentes da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e dos Estados Unidos, Donald Trump, após primeiro encontro em Washington. REUTERS/Kevin Lamarque

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebeu nesta terça-feira (16) na Casa Branca o seu colega turco, Recep Tayyip Erdogan. Esse primeiro encontro entre os dois chefes de Estado acontece em meio a divergências sobre a questão das milícias curdas sírias.

Erdogan foi recebido por Trump, com quem conversou no Salão Oval antes de uma declaração conjunta. O presidente norte-americano disse aos jornalistas presentes no início do encontro que esperava ter com Erdogan "uma longa e produtiva discussão".

O objetivo da reunião é "aprofundar a cooperação para enfrentar o terrorismo em todas as suas formas", segundo uma declaração prévia da Casa Branca. Mas o momento deste encontro é delicado, pois ele acontece uma semana após o anúncio de que Washington pretende entregar armas às milícias curdas Unidade de Defesa Popular (YPG), da Síria.

Os Estados Unidos consideram a coalizão árabe-curda das Forças Democráticas da Síria (FDS), da qual faz parte a YPG, como seu aliado mais eficaz na luta contra os extremistas islâmicos. Já a Turquia vê essas milícias como a extensão no território sírio do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), organização separatista que trava um combate armado contra Ancara desde 1984.

O presidente turco pediu que os Estados Unidos voltassem atrás "sem demora" em sua decisão. Erdogan disse que o apoio de Washington às milícias curdas vai contra os acordos concluídos entre os dois países e disse que Ancara nunca vai aceitar essa decisão de Washington.

Trump tentou apaziguar o diálogo dizendo que apoia os turcos no combate contra os jihadistas do grupo Estado Islâmico, mas também contra os separatistas do PKK.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.