Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 30/04 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 28/04 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 30/04 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 28/04 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 30/04 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 30/04 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 30/04 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 30/04 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Peregrinos brasileiros visitam Jerusalém para a Páscoa

Peregrinos brasileiros visitam Jerusalém para a Páscoa
 
A Igreja de Todas as Nações, no Monte das Oliveiras (Jerusalém), onde fica o Jardim do Getsêmani, em 13 de abril de 2017. Daniela Kresch

Milhares de peregrinos brasileiros estão em Jerusalém para a celebração da Páscoa, uma das datas mais importantes para o Cristianismo.

Daniela Kresch, correspondente da RFI em Jerusalém

De acordo com o Ministério do Turismo de Israel, 300 mil pessoas chegaram ao país desde o começo de abril, mais da metade para participar da Páscoa na Terra Santa.

Entre os fiéis está o médico curitibano Ezequiel Milani Machado, de 41 anos, que chegou com a família para conhecer os locais citados pela Bíblia. Ele conta como se sente ao pisar onde, segundo a tradição cristã, Jesus passou há quase dois mil anos.

“É uma emoção muito grande porque desde pequeno fui criado como católico, como cristão. E, para um cristão, estar na terra onde Jesus viveu, passou a sua Paixão, sua morte e também sua ressurreição, é uma emoção realmente muito grande”, diz Ezequiel. “Poder pisar, poder estar, poder tocar nos lugares em que Jesus passou, em que Jesus viveu, toca muito o coração”.

Interior da Igreja de Todas as Nações, no Monte das Oliveiras, em Jerusalém. Daniela Kresch

O médico visitou locais citados pelos evangelhos e que fazem parte da chamada “Trilha de Jesus”, uma rota de peregrinação que começa em Nazaré e passa pelo Mar da Galileia, Tiberíades e o Rio Jordão.

Mas chegou a Jerusalém na Quinta-feira Santa para acompanhar as celebrações dos dias mais solenes da Páscoa e do calendário cristão: a Paixão de Cristo, a crucificação e a ressurreição.

A catarinense Diumar da Silva, de 63 anos, também está na cidade para ver de perto as 14 estações da Via Dolorosa e a Igreja do Santo Sepulcro.

Emoção na Terra Santa

Ela não esconde o sentimento e a comoção de estar na Terra Santa. “Tem lugares que a gente vai e só chora aqui. A gente só tem vontade de chorar, de ver, sentir o sacrificio que Jesus fez por nós”, conta Diumar. “E você vê de perto, vê os lugares. Porque a gente está lá tão longe, a gente lê as passagens na Bíblia, mas a gente tenta visualizar, mas não é nem perto do que a gente possa pensar ou imaginar. É muito lindo”.

A guia turística Miri Henis no Jardim do Gestêmani, no Monte das Oliveiras, em Jerusalém, em 13 de abril de 2017. Daniela Kresch

A guia de turismo carioca Miri Henis, de 61 anos, mora em Israel e há mais de três décadas recebe visitantes brasileiros nesta época do ano. Ela diz que há cada vez mais cristãos do Brasil visitando a Terra Santa, apesar da crise econômica.

Mas os brasileiros ainda são poucos em comparação com peregrinos de outros países, como Rússia, França e Grécia. Segundo Miri, os católicos ainda são os cristãos que mais visitam Jerusalém, mas o número de evangélicos está crescendo.

“Em termos financeiros, eu acho que a condição econômica da comunidade católica do Brasil é um pouquinho melhor, então eles têm vindo com mais frequência. Mas os evangélicos, eles têm a capacidade de poupar cada centavo para poder chegar na Terra Santa e realizar um sonho, porque é um sonho de todo cristão, independente de sua orientação religiosa, é o sonho de todo cristão pisar neste lugar. Eu acho que, quando um cristão consegue chegar aqui, é uma grande glória”, diz a guia turística.

Uma das atrações da Páscoa deste ano é a limpeza da Edícula, o local dentro da Igreja do Santo Sepulcro onde, segundo a tradição cristã, o corpo de Jesus foi depositado antes de ressurreição.

De agora em diante, será possível ver, do lado de fora da construção, através de uma janela, onde o corpo foi colocado. O local não era renovado há cerca de 200 anos. A obra de restauração durou dois anos e custou mais de US$ 4 milhões.

“Fzeram algo incrível que a gente, lamentavelmente, não pôde ver”, conta Miri Henis. “Eles abriram o sepulcro, o próprio sepulcro, que tem uma lápide em cima, para limpar também por dentro. Foi muito, muito especial. E agora, fecharam e reformaram toda a Edícula, que é uma construção que está ali já desde o século XVIII e eles reformaram essa Edícula. Ficou muito bonito”.

 


Sobre o mesmo assunto

  • Linha Direta

    Jerusalém celebra Páscoa com segurança reforçada e 300 mil peregrinos

    Saiba mais

  • Páscoa

    Em missa de Páscoa, papa denuncia terrorismo e crise de refugiados

    Saiba mais

  • Debate

    Páscoa: novos livros questionam a forma de interpretar a ressurreição

    Saiba mais

  • Papa/Páscoa

    Papa pede fim da violência na benção Urbi et Orbi de Páscoa

    Saiba mais

  • Papa/Páscoa

    Papa condena ataques contra cristãos durante comemorações da Páscoa

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.