Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 21/07 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 21/07 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Coreia do Norte testa novo foguete em meio a diálogo entre China e EUA

media Xi Jinping meets U.S. State of Secretary, Rex Tillerson at the Great Hall … O presidente chinês, Xi Jinping, durante encontro neste domingo (19) com o secretário de Estado americano, Rex Tillerson, em Pequim. REUTERS/Thomas Peter

A Coreia do Norte testou um novo motor de foguete de alta performance, informou neste domingo (19) a agência oficial norte-coreana, KCNA. "O mundo perceberá muito em breve a importância da vitória histórica alcançada hoje", destacou o líder do país comunista, Kim Jong-un.

De acordo com a nota da KCNA, "o desenvolvimento e a conclusão de um novo tipo de motor de alta propulsão podem ajudar a consolidar a base científica e tecnológica para alcançar a capacidade mundial de transmissão por satélite no campo do desenvolvimento do espaço". Os motores de foguetes podem ser facilmente reutilizados em mísseis.

Observadores externos afirmam que o programa espacial da Coreia do Norte em matéria de lançamento de satélites é na realidade um disfarce para testes do âmbito militar.

O novo teste norte-coreano foi programado para coincidir com o primeiro giro diplomático do novo secretário de Estado americano, Rex Tillerson, à Ásia. Tillerson chegou a Pequim no sábado (18) após ter visitado o Japão e a Coreia do Sul, onde disse que os Estados Unidos deixariam de exercer a "diplomacia paciente" com o regime comunista norte-coreano. Ele chegou a dizer que a ação militar era uma opção sobre a mesa, caso a Coreia do Norte insista em seu programa nuclear.

Várias resoluções internacionais proíbem o país comunista de manter programas balísticos e nucleares.

China e EUA estão dispostos a colaborar

Depois de receber Tillerson para conversas neste domingo (19), o presidente chinês, Xi Jinping, declarou que Pequim e Washington "podem agir para que a relação [bilateral] avance de maneira construtiva na nova era". Os dois países demonstraram disposição de se aproximar.

Xi se reuniu com o chefe da diplomacia americana horas após o anúncio do teste norte-coreano. Não se sabe se eles falaram diretamente sobre a Coreia do Norte, mas o governo americano pressiona a China, única aliada de Pyongyang, nessa direção.

A Coreia do Norte realizou dois testes nucleares no ano passado e efetuou, recentemente, dois lançamentos de mísseis de médio alcance. Pyongyang descreveu os disparos como ensaios anteriores a um eventual ataque às bases americanas no Japão. Existe o temor de que os mísseis intercontinentais norte-coreanos sejam capazes de atingir o território dos Estados Unidos.

Mudança de tom

Há uma mudança de tom em relação aos sinais enviados pelos dois lados nas últimas semanas. As relações entre Pequim e Washington ficaram tensas recentemente pela implantação por parte dos Estados Unidos de um escudo antimísseis na Coreia do Sul, que a China considera como uma ameaça a sua soberania.

A China também esteve na mira de Donald Trump durante sua campanha eleitoral. O bilionário acusou Pequim de ter "roubado" milhões de empregos nos Estados Unidos e ameaçou impor direitos aduaneiros sobre as importações de produtos chineses.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.