Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 21/07 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 21/07 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Mais de 40 migrantes somalis são mortos a tiro em barco no mar Vermelho

media Cadáveres de somais encontrados em barco no Iêmen REUTERS/Abduljabbar Zeyad

Mais de 40 refugiados somalis, entre eles crianças, foram mortos a tiros no mar Vermelho, em frente ao Iêmen, onde a guerra não impede o fluxo de migrantes que fogem da miséria e da violência no leste da África.

A embarcação na qual viajavam os refugiados atracou nesta sexta-feira (17) no porto de Hodeida, em poder dos rebeldes xiitas hutis, depois de ter sido alvo do ataque.

O local e as circunstancias exatas do ataque ainda são desconhecidos. A zona é palco de operações militares no conflito entre os rebeldes e as forças do governo.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) anunciou a descoberta dos 42 cadáveres. Pelo menos 35 feridos foram levados ao hospital. Segundo um funcionário do porto, dezenas de sobreviventes e os coiotes iemenitas foram presos.

Coalizão árabe

A agência Saba, controlada pelos rebeldes xiitas, disse que o ataque foi realizado por aviões da coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita, que apoia o governo, mas não deu mais detalhes. O tenente-general Ahmed Assiri, porta-voz da coalizão, desmentiu as acusações.

Ainda não se sabe se os somalis tentavam fugir do Iêmen ou se refugiar no país, mas um porta-voz da OIM disse que acha que a embarcação se dirigia ao Sudão.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.