Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Nasa envia primeira astronauta afro-americana para estação espacial

media A astronauta Jeanette Epps será a primeira astronauta negra na ISS Handout / NASA / AFP

A Nasa vai enviar pela primeira vez uma astronauta afro-americana para a Estação Espacial Internacional (ISS na sigla em inglês). A escolhida foi Jeanette Epps, física que trabalhou para a CIA como um oficial de inteligência técnica.

Jeanette Epps irá para a ISS como engenheira de voo em 2018. Seu comandante será Andrew Feustel, um astronauta veterano. “Cada tripulação da estação espacial traz algo de diferente, e Drew e Jeanette têm muito a oferecer", disse Chris Cassidy, chefe do escritório do Johnson Space Center da Nasa em Houston.

Do total de 321 astronautas selecionados pela Nasa até hoje, apenas 16 negros, entre eles cinco mulheres, foram recrutados pela agência. No entanto, mesmo se todos participaram de missões em naves espaciais, Epps será a primeira afro-americana a fazer parte da tripulação da ISS.

Falar russo é indispensável

Doutora em engenharia aeroespacial pela Universidade de Maryland, ela foi selecionada em julho de 2009 como uma dos 14 membros da 20ª turma de astronautas da Nasa. Além do preparo técnico para a viagem espacial, seu treinamento incluiu aulas de russo, para que ela possa se comunicar com cosmonautas da estação, já que desde a interrupção do programa de estações especiais, os Estados Unidos dependem da Rússia para levar seus astronautas até a ISS.

Essa dependência de Moscou – que cobra US$ 70 milhões para transportar cada cosmonauta – deve continuar até 2018, quando serão lançados os voos espaciais operados pelas empresas norte-americanas SpaceX e Boeing.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.