Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/10 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Soldado franco-israelense que matou palestino indefeso é julgado culpado

media O soldado franco-israelense Elor Azaria aguarda veredito. REUTERS/Heidi Levine/Pool

Um soldado franco-israelense que matou um palestino ferido, quando estava caído no chão e sem representar nenhuma ameaça aparente, foi declarado culpado de homicídio nesta quarta-feira (4) depois de um julgamento que dividiu profundamente a opinião do país.

O julgamento contra o soldado Elor Azaria em um tribunal militar começou em maio e durante esse tempo inúmeros políticos conservadores defenderam sua ação, apesar de altas patentes militares condenarem o crime.

Cerca de 40 pessoas manifestaram apoio ao militar, que também tem nacionalidade francesa, diante da sede do exército.

O caso do sargento Elor Azaria, que tinha 19 anos no momento dos fatos, em março de 2016, levanta a questão do respeito aos valores éticos do exército diante dos frequentes ataques palestinos.

Um vídeo feito por um militante palestino de uma organização de defesa dos direitos humanos e difundido nas redes sociais, mostra Azaria conversando com outro soldado antes de apontar para Abdel Fattah al Sharif em Hebron, na Cisjordânia.

O palestino de 21 anos acabava de atacar os militares com uma faca, acompanhado de um outro palestino. Ferido a bala, estava caído no chão e parecia não representar qualquer perigo, quando Azaria atirou contra ele. Segundo o militar, havia o perigo do palestino tentar atacar de novo.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.