Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/06 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/06 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/06 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/06 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/06 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/06 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Líder norte-coreano provoca EUA: “pronto para lançar míssil intercontinental”

media O líder norte-coreano Kim Jong-Un durante discurso de Ano Novo em Pyongyang, 1° de janeiro de 2017. KCNA/via Reuters

A Coreia do Norte está em "fase final de testes de um míssil balístico intercontinental", afirmou neste domingo (1°) o líder norte-coreano, Kim Jong-Un, durante seu discurso de Ano Novo.

"Estamos nas etapas finais antes do lançamento de um míssil balístico intercontinental", sublinhou o chefe do Estado norte-coreano em uma mensagem de 30 minutos, transmitida pela televisão local, dizendo que Pyongyang "adquiriu o estatuto de potência nuclear em 2016”.

A Coreia do Norte é agora "uma potência militar no Oriente, temida até mesmo pelos inimigos mais poderosos", insistiu Kim Jong-Un. Durante 2016, Pyongyang realizou dois testes nucleares e lançou vários mísseis, como parte de seu objetivo de ser capaz de atingir o solo americano com uma arma nuclear.

Os analistas internacionais estão divididos quanto à real capacidade da Coreia do Norte para desenvolver uma arma nuclear, precisamente porque o país nunca conseguiu lançar com sucesso um míssil balístico intercontinental. Todos concordam, no entanto, que Pyongyang tem feito enormes progressos neste sentido desde que Kim sucedeu seu pai, Kim Jong-Il, que morreu em dezembro de 2011.

Verdades e “pós-verdades” sobre o poderio nuclear de Kim Jong-Un

Um alto funcionário da Defesa dos Estados Unidos explicou no mês passado que a Coreia do Norte havia realmente conseguido equipar um míssil com uma ogiva nuclear e a lhe lançar, mas que o país é atualmente incapaz de fazê-lo voltar à órbita terrestre para alcançar um alvo específico.

A declaração do líder norte-coreano pode ser uma tentativa de "exercer pressão sobre [o futuro presidente dos Estados Unidos] Donald Trump", disse Kim Yong-hyun, especialista em Coreia do Norte da Universidade de Dongguk, em Seul. "É uma maneira de dizer que se os Estados Unidos continuarem a sua política de pressão sobre a Coreia do Norte, ele irá realizar um teste de míssil intercontinental nos próximos meses", explicou.

Kim Jong-Un, sem se referir ao nome de Donald Trump, exortou os EUA a "tomar uma decisão firme para parar com sua política hostil e anacrônica em relação à Coreia do Norte."
Washington tem dito repetidamente que não permitirá que a Coréia do Norte se torne uma potência nuclear. Trump, no entanto, ainda não se pronunciou sobre o assunto.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.