Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Após discurso de Kerry, Netanyahu diz que anseia pela posse de Donald Trump

media O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu ©REUTERS/Dan Balilty

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, não reagiu bem ao longo discurso que o secretário de Estado americano, John Kerry, fez na quarta-feira (28), em Washington, sobre o conflito entre israelenses e palestinos, no qual condenou os assentamentos judaicos na Cisjordânia.

Daniela Kresch, correspondente da RFI em Tel Aviv

Netanyahu se disse decepcionado e surpreso, classificando Kerry de “obsessivo” em relação a esses assentamentos, ignorando que outras partes do Oriente Médio estão “em chamas”.

Mas Kerry, de acordo com Netanyahu, preferiu criticar a única democracia da região e deixar de lado o que seria o verdadeiro problema: “A persistente recusa palestina em reconhecer um Estado judeu em qualquer fronteira”.

Netanyahu também enfatizou que anseia pela subida ao poder do próximo presidente americano, Donald Trump, que, horas antes do discurso, criticou Kerry pelo que chamou de “desdém” contra Israel.

“Fique forte, Israel, 20 de janeiro está chegando rapidamente”, escreveu Trump no Twitter, referindo-se ao dia de sua posse.

O discurso aconteceu cinco dias depois da aprovação, pelo Conselho de Segurança da ONU, de uma resolução condenando os assentamentos, que foi aprovada porque os americanos não utilizaram seu tradicional poder de veto.

Netanyahu acusou o presidente Barack Obama de “conspirar” contra Israel na organização.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.