Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/06 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/06 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/06 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/06 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/06 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/06 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Conselho de Segurança da ONU aprova novas sanções contra Coreia do Norte

media Imagem de propaganda da Coréia do Norte com exercícios de tiros de mísseis feita pela agencia norte-coreana, KCNA. REUTERS/KCNA

O Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade nesta quarta-feira (30) o endurecimento das sanções contra a Coreia do Norte, cujas exportações de carvão para a China serão limitadas depois que o país realizou novos testes nucleares.

A resolução, promovida pelos Estados Unidos depois de três meses de negociações espinhosas com a China, foi aprovada por todos os 15 membros do Conselho de Segurança. As sanções, entre outras medidas, tentam bloquear as exportações de carvão da Coreia do Norte, a principal fonte de renda de Pyongyang, em mais de 60% do seu volume, segundo as autoridades americanas.

A resolução deve reduzir o rendimento do país em cerca de US$ 700 milhões, limitando assim os recursos que poderiam ser alocados para o desenvolvimento de armas balísticas e nucleares.

China mostra sinais de mudança em relação a Pyongyang

Pequim é o maior aliado de Pyongyang e um dos poucos mercados de seu carvão. A China, tradicionalmente, protege diplomaticamente a Coreia do Norte, apoiada na ideia de que o regime de Kim Jong-un é preferível ao seu colapso, mas tem mostrado crescente frustração com os testes de seu vizinho.

Pyongyang realizou em 9 de setembro o seu quinto teste nuclear, que foi condenado "nos termos mais fortes" pela resolução do Conselho de Segurança. Após o teste, o país alegou ter feito grandes progressos nos seus esforços para colocar uma ogiva nuclear em um foguete em miniatura, que poderia chegar aos Estados Unidos.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.