Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Milhares de judeus se reúnem diante do Muro das Lamentações

media Envolvidos nos tradicionais xales brancos de orações, judeus se reuniram diante do Muro de Lamentações REUTERS/Baz Ratner

Milhares de judeus se reuniram nesta quarta-feira (19) diante do Muro das Lamentações para celebrar um dos grandes rituais do ano. A manifestação acontece apenas um dia após a Unesco aprovar uma resolução que nega qualquer vínculo entre o judaísmo e o local sagrado.

Dezenas de milhares de pessoas participaram da bênção dos Cohanim, um dos momentos mais importantes da semana religiosa do Sucot, que termina em 25 de outubro. Envolvidos nos tradicionais xales brancos de orações, os membros da casta dos Cohanim (plural de Cohen, que significa sacerdote em hebraico) abençoaram multidão enquanto levantavam os braços e recitavam partes do quarto livro da Bíblia.

Situado na parte baixa da Esplanada das Mesquitas, o Muro das Lamentações é o vestígio do segundo templo judaico destruído pelos romanos no ano 70. Trata-se do local mais sagrado para os judeus e também o terceiro lugar santo do Islã.

Decisão da Unesco provoca polêmica

A bênção ocorre um dia após a adoção pela Unesco de uma resolução sobre Jerusalém Oriental que provocou polêmica em Israel. O texto, que nega o vínculo entre o Muro das Lamentações e o judaísmo, foi submetido pelos países árabes em nome da proteção do patrimônio cultural palestino. As autoridades israelenses o denunciaram de forma quase unânime pois consideram que a resolução nega o vínculo histórico entre os judeus e Jerusalém.

Um forte dispositivo de segurança foi implementado, mas nenhum incidente foi registrado.

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.