Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

França mobiliza oito caças em operação anti-EI para batalha de Mossul

media Decolagem dos oito caças Rafale do porta-aviões Charles de Gaulle na manhã desta sexta-feira (30). Eric FEFERBERG AFP

As operações aéreas da França para a retomada de Mossul, cidade sede do grupo Estado Islâmico (EI) no Iraque, começaram na manhã desta sexta-feira (30). Oito aviões de caça franceses Rafale decolaram do porta-aviões Charles de Gaulle, no mar Mediterrâneo.

As autoridades francesas não deram detalhes das operações, nem mesmo divulgaram o objetivo da missão. Os Rafale são geralmente utilizados no reconhecimento de alvos e também em bombardeios para destruição de instalações jihadistas.

Com a contribuição desse porta-aviões a capacidade de ataque por ar da França é triplicada na região, onde doze caças Rafale já estão estacionados na Jordânia e nos Emirados Árabes Unidos. O Charles de Gaulle "reforçará nossas capacidades de inteligência" e "melhorará a informação das forças que retomarão o território de Mossul", indicou o ministro da Defesa Jean-Yves Le Drian.

Essa é a terceira vez em que o porta-aviões participa de operações da coalizão internacional anti-EI, dirigida pelos Estados Unidos desde fevereiro de 2015. O navio, que tem a bordo 24 aviões do tipo Rafale, dois aviões Hawkeye e quatro helicópteros, saiu do porto de Toulon, no sudeste da França, em 20 de setembro.

Batalha longa e complicada

A batalha de Mossul, no norte do Iraque, cidade controlada pelo EI desde 2014, será longa e delicada. Os extremistas estão infiltrados em zona urbana, em meio à população de 664 mil habitantes, que deverão ser poupados dos ataques.

A ofensiva-chave pode começar em outubro, segundo várias autoridades ocidentais. O objetivo desta batalha é reconquistar a cidade de Mossul antes do fim do ano.

As tropas iraquianas, que conseguiram reconquistar grandes partes desses territórios nos últimos dois anos, também se preparam para lançar a batalha de Mossul, com o apoio da coalizão internacional, que mobiliza cada vez mais meios antes do início deste ataque.

Já os Estados Unidos anunciaram nesta semana o envio de mais 615 soldados ao Iraque, principalmente especialistas em operações de inteligência, para analisar os computadores que serão abandonados pelos jihadistas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.