Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Agência francesa recupera dados da caixa-preta do voo da Egyptair

media As caixas pretas do avião Egyptair MS804 mostradas pelas autoridades egípcias. HO / EGYPTIAN MINISTRY OF CIVIL AVIATION / AFP

A segunda caixa-preta do voo da Egyptair, que caiu no Mediterrâneo no dia 19 de maio, chegou nesta terça-feira (28) à França, segundo o BEA, a agência civil francesa que investiga as causas do acidente.

A comissão de investigação egípcia anunciou na segunda-feira à noite que o FDR (Flight Data Recorder), a caixa-preta que registra os parâmetros de voo, foi consertado com sucesso, duas horas depois da chegada dos dois equipamentos ao laboratório do BEA. A agência informou que ainda não sabe quando será possível obter leitura do CVR (Cockpit Voice Recorder), a caixa-preta que grava as conversas dos pilotos.

Participam da operação um representante do fabricante das caixas-pretas, Honeywell, quatro investigadores egípcios e um representante do NTSB, o equivalente americano do BEA. Depois que os dados estiverem disponíveis, as caixas-pretas serão enviadas para o Egito, onde serão analisadas.

Programa foi criado na época do acidente Rio-Paris

O laboratório do BEA é equipado para tornar as cartas de memória das caixas-pretas visíveis, um procedimento que já havia sido aplicado em 2011 no caso do voo da Air France Rio-Paris, cujas caixas-pretas foram encontradas dois anos depois do acidente, em maio de 2009. O conteúdo dos dados foi reconstruído com a ajuda de um programa desenvolvido pela agência.

O Airbus A320, que ligava Paris ao Cairo, caiu no dia 19 de maio entre a Creta e a costa norte do Egito, depois de ter desaparecido dos radares por razões indeterminadas. O acidente deixou 66 mortos, entre eles 40 egípcios e 15 franceses. As duas caixa-pretas foram encontradas em junho.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.