Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 20/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 20/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Autoridades começam análise das caixas pretas do Airbus da EgyptAir

media Um dos gravadores recuperados do Airbus A320 da EgyptAir, que caiu no mar Mediterrâneo no dia 19 de maio. Reuters

O governo egípcio anunciou neste domingo (19) que iniciou a análise das caixas pretas do Airbus A320 da EgyptAir, que caiu no mar Mediterrâneo no dia 19 de maio. A extração das informações do equipamento, que tem registros dos diálogos a bordo do aparelho, pode durar "várias semanas", segundo as autoridades.

De acordo com um comunicado divulgado neste domingo, a comissão de investigação egípcia e o Departamento de Investigações e Análises da aeronáutica francesa (BEA, sigla em francês), além da Airbus, começaram a "analisar os destroços" das duas caixas pretas.

"Os cartões de memória puderam ser extraídos dos dois gravadores nos laboratórios da Aviação Civil do Egito", diz o documento. O comunicado reitera que o material pôde ser seco em um centro de pesquisa do Exército do país, graças a uma tecnologia adequada. A operação, de acordo com as autoridades, durou oito horas.

O documento detalha que testes eletrônicos estão sendo realizados nos dois cartões de memória. O procedimento servirá para verificar o estado dos registros. A próxima fase, completa o comunicado, será a recuperação dos dados. Apenas eles poderão revelar as verdadeiras causas da queda do avião.

Caixas-pretas destroçadas

O Gravador de Voz do Cockpit (CVR, sigla em inglês) e o Gravador de Dados do Voo (FDR) foram repescados "em pedaços" na última semana pelo navio John Lethbridge, da companhia francesa Deep Ocean Search (DOS). As autoridades alertaram que a análise dos dados podem durar várias semanas.

Enquanto isso, a embarcação continua a busca por destroços no fundo do mar Mediterrâneo. O robô submarino pode descer a até 6 mil metros de profundidade.

Hipótese de atentado é revisada

O Airbus A320 da EgyptAir caiu no dia 19 de maio entre a ilha grega de Creta e o litoral norte do Egito, com 66 pessoas a bordo, entre elas, 40 egípcios e 15 franceses.

A teoria de um ataque terrorista dentro da aeronave foi especialmente apoiada pelo governo egípcio, depois de ter sido alvo do atentado de Charm el-Cheik, há sete meses. O ato foi reivindicado pelo grupo Estado Islâmico.

No entanto, a hipótese de um ataque jihadista a bordo do Airbus A320 da EgyptAir vem sendo pouco a pouco descartada devido à ausência de reivindicação e em razão de sinais de falha emitidos pelo avião.

Antes de desaparecer dos radares, o sistema de transmissão automatizado de mensagens do aparelho indicou que 10 alarmes foram acionados a bordo. Ele assinalou fumaça no cockpit, no banheiro e na cabine de pilotagem, assim como falha no computador que gerencia os comandos do avião.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.