Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Vendas para abertura de Disneylândia na China se esgotam em cinco minutos

media O parque Disney de Xangai abre no dia 16 de junho. AFP PHOTO/Mark RALSTON

À meia noite, horário local, desta segunda-feira (28), foram colocados à venda ingressos antecipados para a inauguração do parque Disney em Xangai, na China. Os bilhetes foram vendidos em cinco minutos. O evento acontece no dia 16 de junho.

Trata-se do primeiro parque do gênero a se instalar na China continental. A Alitravel, agência de viagens do site Alibaba, gigante chinês do comércio digital, anunciou ter vendido 20 mil entradas em meia hora. O site oficial da Disney China ficou saturado com tantas visitas.

A data de inauguração do parque coincide com o início das férias escolares na China. A franquia americana espera receber dez milhões de turistas no primeiro ano.

Disney de Xangai é maior e mais barata que a de Hong Kong

Delphine Surreau, correspondente da RFI em Xangai, conta que agora os preços estão nas mãos dos cambistas. Alguns bilhetes já valem sete vezes mais, por exemplo, indo de cerca de R$300 para mais de R$2000. A prefeitura de Xangai vê o empreendimento com bons olhos, pois deve ganhar o equivalente de mais de R$ 12 milhões por ano.

Os chineses esperam a novidade com impaciência, conta a repórter da RFI. Mais barata e duas vezes maior que a Disneylândia de Hong Kong, a companhia americana prometeu dar destaque à cultura chinesa.

A Disney aposta em Mulan, heroína local, e numa versão em mandarim da famosa canção dos Sete Anões com a Branca de Neve, para seduzir os visitantes.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.