Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Papa lava pés de 11 jovens refugiados para lembrar Última Ceia

media Papa reza missa no Vaticano. REUTERS/Stefano Rellandini

Como manda a tradição, o papa Francisco lavou nesta quinta-feira (24), em Castelnuovo di Porto, a norte de Roma, os pés de 12 pessoas lembrando o ritual que Jesus fez nos apóstolos na Última Ceia, episódio narrado na bíblia. Os escolhidos foram 11 refugiados e um funcionário de um abrigo para migrantes.

Francisco se ajoelhou diante de cada um, molhou, enxugou e beijou os pés de todos. Foi um gesto “fraternal”, em contraponto aos “atos de guerra e destruição cometidos há poucos dias em uma cidade da Europa”, por “pessoas que não querem viver em paz”, declarou o papa referindo-se aos ataques cometidos em Bruxelas e reivindicados pelo grupo Estado Islâmico.

“Por trás desses atos estão traficantes de armas que querem a guerra, não a fraternidade”, acrescentou Francisco no centro de refugiados improvisado em Castelnuovo di Porto. O local é administrado pelo ministério do Interior e abriga 892 pessoas de 25 países, incluindo 36 mulheres e sete menores.

Os escolhidos para o ritual de Páscoa foram quatro nigerianos católicos, três mulheres coptas da Eritreia, muçulmanos do Mali, Paquistão e Síria, além de um hindu indiano e um funcionário italiano do abrigo. Em anos anteriores, o papa argentino realizou a cerimônia do lava-pés em presidiários e deficientes.

Francisco quis também chamar a atenção para a crise dos refugiados. Mais de um milhão de migrantes chegaram à Europa desde janeiro de 2015, causando a pior crise de refugiados na Europa desde 1945.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.