Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/04 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/04 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/04 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/04 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/04 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/04 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/04 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Começa envio de ajuda humanitária a três cidades na Síria

media Comboios com ajuda humanitária seguiam nesta segunda-feira (11) para cidades do norte da Síria e próximas da fronteira libanesa. LOUAI BESHARA / AFP

O envio de ajuda humanitária aos habitantes das cidades sírias sitiadas de Madaya, Fua e Kafraya, onde dezenas de pessoas estão à beira da fome, começou nesta segunda-feira (11), anunciou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

Um comboio humanitário de 44 caminhões partiu de Damasco rumo à cidade rebelde de Madaya, situada 40 km a oeste, onde cerca de 42.000 pessoas vivem sob o cerco das forças do regime há seis meses.

Pouco antes, 21 caminhões com ajuda humanitária partiram da capital síria para prestar ajuda aos 20.000 habitantes das localidades xiitas de Fua e Kafraya, sitiadas pelos rebeldes na província de Idleb (noroeste).

Segundo a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF), 28 pessoas morreram de fome desde 1° de dezembro em Madaya, onde os habitantes descreveram cenas de desespero, com pessoas obrigadas a comer mato ou a pagar preços exorbitantes pela escassa comida que entra na cidade.

População estava sem ajuda há quase três meses

Os caminhões enviados pelo Programa Mundial de Alimentos (PMA), pelo CICV e pelo Crescente Vermelho sírio transportam comida, água, leite para bebês, cobertores, medicamentos e material cirúrgico. Será a primeira vez em que um comboio humanitário chega às cidades rebeldes de Madaya, Fua e Kafraya desde 18 de outubro.

A ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) afirmou que a situação é menos dramática em Fua e em Kafraya porque a aviação do regime lançou ali carregamentos com comida. No entanto, os rebeldes não puderam fazer o mesmo em Madaya.

Pedido de ajuda urgente

A MSF registrou no domingo outras cinco mortes por inanição, incluindo a de um menino de nove anos. "Os médicos da MSF na cidade sitiada (de Madaya) têm dez pacientes em estado crítico de inanição que precisam de hospitalização urgente", informou a organização.

"Mais de 200 pacientes desnutridos podem estar em estado crítico e precisar de hospitalização na próxima semana se a ajuda não chegar", acrescentou.

Outras 13 pessoas que tentaram escapar em busca de comida morreram ao pisar nas minas que cercam Madaya ou por disparos de franco-atiradores, segundo o OSDH, um grupo com sede no Reino Unido que conta com uma extensa rede de colaboradores na Síria.

A ONU e as organizações humanitárias mostraram em diversas ocasiões sua preocupação pelas zonas sitiadas ou difíceis de acesso no país. Na semana passada, as Nações Unidas afirmaram que apenas 10% da ajuda necessária nestas áreas pôde ser entregue em 2015.

Mais de 260.000 pessoas morreram desde o início do conflito sírio, em março de 2011, quando o governo de Bashar al-Assad reprimiu uma onda de protestos contra o executivo.

Crianças mortas em Aleppo

O OSDH indicou, por sua vez, que ao menos doze crianças e três adultos morreram quando um bombardeio russo atingiu sua escola, em uma localidade síria rebelde na província setentrional de Aleppo.

O ataque também deixou 20 feridos entre os alunos e seus professores, acrescentou esta fonte.

A Rússia, um dos principais aliados de Assad, começou em setembro uma campanha de bombardeios para apoiar o regime sírio.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.