Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Ataque a hotel no Mali deixou pelo menos 27 mortos

media Forças de segurança cercam o hotel Radisson, em Bamaco. REUTERS/ MALIKAHERE.COM

Cerca de 140 pessoas de pelo menos 14 nacionalidades foram mantidas reféns ao longo de toda a sexta-feira (20) no hotel Radisson Blu, em Bamaco, capital do Mali. O ataque deixou pelo menos 27 mortos, segundo o ministério da Segurança Interior do país africano.

Pelo menos dois sequestradores morreram após a ação da polícia local, que contou com apoio de forças especiais da França e dos Estados Unidos. O hotel de luxo, situado em uma região calma a oeste do centro da cidade, tem 190 quartos e conta com um posto de segurança próximo à rua, a 50 metros do edifício.

Além dos estrangeiros, pelo menos 45 malineses foram libertados. Um levantamento preliminar encontrou dois alemães, quatro belgas, um canadense, sete chineses, dois espanhois, seis americanos, 20 indianos e 27 franceses, entre eles 12 funcionários da Air France – além de turcos, russos, senegaleses, marroquinos.

"Allah Akbar"

Entre dois a dez homens invadiram o hotel nesta manhã e fizeram 170 réféns – sendo 140 clientes e 30 empregados. A polícia invadiu o local e passou o dia libertando reféns aos poucos. Os agressores chegaram ao hotel disfarçados em um carro com placa diplomática. Eles anunciaram a ação gritando em árabe Allah Akbar, que significa Deus é Grande, expressão frequentemente usada em ataques de extremistas islâmicos.

A França lidera uma intervenção militar no Mali desde janeiro de 2013, para ajudar o exército local a enfrentar grupos armados islâmicos que atuam principalmente no norte do país. O presidente François Hollande pediu aos franceses que se encontram em "países sensíveis" que "tomem suas precauções" e enviou cerca de 40 policiais de elite franceses para ajudar no resgate ao hotel.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.