Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 27/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 27/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 27/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 26/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 26/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 26/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 26/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 26/06 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Netanyahu autoriza cerco a bairros árabes de Jerusalém

media O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, apresentou novas medidas de segurança, após os atentados que deixaram 3 israelenses mortos na terça-feira (13). REUTERS/Amir Cohen

Após novos atentados que deixaram ontem (13) cinco mortos - três israelenses e dois palestinos - o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anunciou nesta quarta-feira (14) um reforço das medidas de segurança em Jerusalém Oriental e nas colônias israelenses da Cisjordânia. Em uma sessão parlamentar que terminou às duas horas da manhã, no horário local, o premiê autorizou a instalação postos de controle nos bairros palestinos de Jerusalém Oriental, a fim de evitar novos ataques contra judeus.

"A polícia está instalando nesta quarta-feira postos de controle nas saídas das localidades palestinas e dos bairros de Jerusalém Oriental", a parte palestina da cidade anexada e ocupada por Israel, informa um comunicado oficial. O gabinete de segurança do primeiro-ministro também autoriza a polícia "a fechar ou impor um toque de recolher nos bairros de Jerusalém em caso de confrontos ou incitações à violência", diz o texto.

Netanyahu anunciou ainda que as casas de palestinos destruídas, como punição pelo envolvimento em atentados, não poderão ser reconstruídas. Policiais que atuam nos territórios ocupados vão contar com ajuda do Exército.

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, anunciou que pretende abrir uma ação no Tribunal Penal Internacional contra Israel, pelo modo como os palestinos envolvidos nos ataques contra judeus foram sumariamente abatidos pela polícia israelense.

Escalada da violência

O governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu tomou a decisão depois que Israel sofreu na terça-feira o dia mais violento desde o início da atual onda de violência entre palestinos e israelenses, em 1º de outubro. Dois israelenses morreram ontem e 10 ficaram feridos em Jerusalém Oriental quando duas pessoas atacaram um ônibus.

Poucos minutos depois, um homem jogou seu carro contra um ponto de ônibus em um bairro judeu ultraortodoxo de Jerusalém Ocidental. Uma pessoa morreu e oito ficaram feridas no ataque. Os três agressores eram moradores de Jerusalém Oriental, assim como a maioria dos autores dos ataques recentes com facas que espalharam o pânico no país.

A instalação de postos de controle em Jerusalém Oriental já foi adotada no passado e provocou a revolta dos palestinos, já que a medida dificulta a vida cotidiana, como, por exemplo, a ida das crianças à escola.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.