Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/07 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 20/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 20/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Nobel de Medicina é concedido a três pesquisadores

media Os três pesquisadores premiados nesta segunda-feira (5): o irlandês William Campbell, o japonês Satoshi Omura e a chinesa Youyou Tu. AFP PHOTO / JONATHAN NACKSTRAND

 A Academia Sueca anunciou nesta segunda-feira (5) os vencedores do prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia deste ano: o irlandês William Campbell, o japonês Satoshi Omura e a chinesa Youyou Tu. Os três pesquisadores foram recompensados pelo trabalho contra doenças provocadas por parasitas e a malária.

Campbell e Omura receberam o prêmio por seus "trabalhos sobre um novo tratamento contra as infecções provocadas por vermes", anunciou o júri do Nobel em Estocolmo.

O irlandês William C. Campbell REUTERS/Brian Snyder

O o japonês Satoshi Ōmura REUTERS/Issei Kato

Eles desenvolveram um novo medicamento, a Avermectina, revolucionário contra a oncocercose, também conhecida como "cegueira dos rios", e eficaz também contra a a filariose linfática, popularmente chamada de elanfantíase.

Já Youyou Tu descobriu a Artemisina, uma droga que combate parasitas causadores da malária. Há vários anos a chinesa de 84 anos estava na lista de favoritos do Nobel e tornou-se hoje a 12ª mulher a conquistar o prêmio. O medicamento é o tratamento mais eficaz e seguro contra a malária, uma doença que afeta quase 200 milhões de pessoas por ano e mata mais de 500 mil, principalmente crianças africanas.

Flagelo para a humanidade

"As doenças provocadas por parasitas têm sido um flagelo para a humanidade durante milhares de anos e são um problema de saúde global significativo", afirmaram os integrantes do júri, ao anunciar os vencedores. Para o comitê Nobel, "as enfermidades parasitárias afetam especialmente as populações mais pobres do mundo e representam um enorme obstáculo para melhorar a saúde e o bem-estar humano".

Os dois primeiros vencedores dividirão metade dos 8 milhões de coroas suecas do prêmio, o equivalente a cerca de R$ 3,8 milhões, enquanto a pesquisadora chinesa ficará com a outra metade.

Nessa semana, também serão anunciados outros prêmios Nobel: o de Física será revelado amanhã (6) e de Química, na quarta-feira (7). Na quinta-feira (8), sai o anúncio do Nobel de Literatura. O prêmio mais esperado, o Nobel da Paz, será apresentado na sexta-feira (9) e, na próxima segunda-feira (12), é a vez do Nobel da Economia.

A chinesa Youyou Tu REUTERS/Stringer

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.