Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Malásia resgata 137 alpinistas presos em montanha após terremoto

media O monte Kinabalu, onde os alpinistas ficaram presos por 18 horas Wikipedia

As equipes de emergência da Malásia resgataram os 137 alpinistas que estavam bloqueados no monte Kinabalu, após um terremoto de 6 graus de magnitude, que causou 13 mortes na ilha de Bornéu. Seis pessoas continuam desaparecidas.

Os alpinistas ficaram presos na montanha durante 18 horas depois que o terremoto, um dos mais fortes no país em várias décadas, danificou gravemente um trecho importante da descida. Apesar da conclusão do resgate, as equipes permanecem em estado de alerta contra as réplicas, que chegaram a 4,5 graus na escala Richter.

O tremor aconteceu na manhã de sexta-feira (5) e afetou grande parte do estado de Saba, onde fica o monte Kinabalu. O tremor provocou deslizamentos de terra e a queda de grandes blocos de rochas na montanha, que tem mais de 4 mil metros de altura e atrai muitos alpinistas para o sudeste da Ásia.

Estrangeiros na montanha

A maioria das pessoas que estavam na montanha presentes na montanha era de cidadãos da Malásia, mas também havia alpinistas de Cingapura, Estados Unidos, Filipinas, Reino Unido, Tailândia, Turquia, China e Japão. As atividades de alpinismo estão suspensas por, no mínimo, três semanas no monte Kinabalu para os reparos nas trilhas e instalações afetadas.

"Da parte da direção do parque de Kinabalu, quero expressar minhas condolências às famílias das vítimas", disse Masidi Manjun, secretário de Turismo do estado de Saba. Segundo o secretário, dois dos 11 corpos recuperados foram identificados. "Temos a missão complicada de encontrar as pessoas desaparecidas", declarou.

Outras possíveis vítimas

As autoridades malaias informaram na sexta-feira que várias pessoas ficaram feridas, mas não divulgaram um número exato. De acordo com a imprensa local, um guia malaio e uma mulher de Cingapura morreram na montanha.

O diário The Star, que cita fontes dos serviços de resgate, afirma que 16 pessoas estão desaparecidas. Os jornais afirmam ainda que um grupo de estudantes de Cingapura estava na montanha, incluindo uma menina de 12 anos, que teria morrido.

Segundo a Estação Geológica dos Estados Unidos (USGS), o terremoto aconteceu às 7H15 (20H15 de Brasília, quinta-feira) a uma profundidade de 10 quilômetros, com epicentro a 54 km de Kota Kinabalu, capital do estado de Sabah.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.