Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Presidente eleito da Nigéria é esperança na luta contra Boko Haram

media Eleitores do opositor Muhammadu Buhari celebram vitória do candidato nas eleições presidenciais na Nigéria. REUTERS/Goran Tomasevic

Os nigerianos festejam a vitória do candidato da oposição e ex-ditador Muhammadu Buhari à presidência da Nigéria. De acordo com resultados oficiais confirmados na manhã desta quarta-feira (1), Buhari, de 72 anos, elegeu-se com 53,9% dos votos, contra 45% do atual presidente, Goodluck Jonathan. Muçulmano, nascido no norte na Nigéria, o presidente eleito fez campanha defendendo a democracia e determinado a pôr um fim à corrupção e às atrocidades praticadas pelos extremistas do Boko Haram.

Muhammadu Buhari conquistou uma ampla vitória, com 2,5 milhões de votos a mais que o adversário. Em seu primeiro pronunciamento como presidente eleito, ele saudou as qualidades de "homem de Estado" de Goodluck Jonathan e o fato de o rival ter reconhecido a derrota. A Nigéria tem um histórico de distúrbios pós-eleitorais e, numa atitude sem precedente, Jonathan publicou um comunicado na noite de terça-feira (31) pedindo calma aos seus simpatizantes e que eles aceitassem a vitória de Buhari.

O presidente eleito concorreu pelo partido Congresso de Todos os Progressistas (APC). Buhari já dirigiu o país, mas como ditador, à frente de uma junta militar, entre 1983 e 1985. Buhari conta com a simpatia da imprensa e é visto como um homem com uma autoridade natural, capaz de combater as enormes desigualdades na primeira economia da África.

Boko Haram

A eleição de Buhari representa uma grande esperança, principalmente no norte da Nigéria. Nos últimos anos, os habitantes da região se sentiram marginalizados durante o governo Jonathan, principalmente por causa da ação do Boko Haram. Eles esperam que com sua experiência como general, o presidente eleito vá acabar com as atrocidades cometidas há seis anos pelos extremistas islâmicos. A insurreição já deixou mais de 13 mil mortos no norte de Nigéria.

Os partidários de Buhari também têm grandes expectativas com a resolução da falta crônica de energia elétrica em várias áreas do país e com a construção de novas escolas e hospitais.

Primeira alternância democrática

Muhammadu Buhari toma posse em maio, marcando a primeira alternância democrática no país mais populoso da África. Em seu primeiro discurso como presidente eleito, Buhari diz que a Nigéria entrou para o grupo de nações que realizou uma votação livre e honesta, um fato histórico, segundo ele.

A União Europeia “felicitou calorosamente” a vitória de Buhari. O presidente francês, François Hollande, “saudou a determinação do povo nigeriano” e o “sentimento de responsabilidade do atual presidente, que reconheceu sua derrota”.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.