Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Naufrágio de balsa deixa mais de 30 mortos em Mianmar

media Autoridades suspeitam que a balsa afundou devido à superlotação. Reprodução de vídeo

O naufrágio de uma balsa que transportava mais de 200 passageiros na costa oeste de Mianmar deixou ao menos 33 mortos e 12 desaparecidos nesta sexta-feira (13). De acordo com as autoridades, a embarcação estava superlotada.

Segundo a polícia, 29 mulheres e quatro homens foram retirados sem vida do mar. Até a tarde deste sábado, 169 passageiros haviam sido socorridos pela marinha nacional e embarcações particulares.

Inicialmente, o mau tempo na região de Rakhine havia sido apontado como a causa do naufrágio. Mas a polícia suspeita que a balsa Aung Takon 3, que fazia um trajeto entre Kyaukphyu e Sittwe, afundou porque estava sobrecarregada.

A embarcação transportava, oficialmente, 214 passageiros e membros da tripulação, mas autoridades apontam que o número de pessoas que estavam a bordo pode ser superior a 300. Habitantes relataram que muitos passageiros compraram passagens sem que fossem registradas, uma prática comum nas balsas em Mianmar.

A região de Rakhine registra com frequência naufrágios de embarcações da minoria muçulmana rohingya. Cidadãos desta etnia tentam frequentemente fugir de Mianmar, devido ao intenso conflito com a maioria budista.

Apesar de um grande número de turistas frequentar esta região de Mianmar, a polícia informou que nenhuma das vítimas é estrangeira.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.