Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Criança que aparece em vídeo do grupo Estado Islâmico seria próxima de terrorista francês

media Imagem da TV estatal francesa France 2 mostra Mohamed Merah. REUTERS/France 2 Television/Handout

O menino de cerca de dez anos que aparece no mais recente vídeo macabro de execução feita pelo grupo Estado Islâmico seria ligado à família de Mohamed Merah, que em 2012 matou três policiais, três crianças judias e um professor judeu no sudoeste da França. O homem que aparece junto à criança seria um meio-irmão de Merah, o "atirador de Toulouse".

As afirmações vêm de especialistas em jihadismo. As autoridades francesas por enquanto não comentam essas informações.

O homem que fala em francês no último vídeo macabro de execução feita pelo Estado Islâmico seria Sabri Essid, meio irmão de Mohamed Merah, terrorista solitário que matou várias pessoas em Toulouse e Montauban, sudoeste da França, em março de 2012.

O canal de notícias France 24, do grupo France Média Monde, que inclui a RFI, consultou uma fonte próxima ao grupo Estado Islâmico, que confirmou a identidade de Essid como o homem que aparece ao lado do menino que executou um suposto espião árabe-israelense. Também para o jornalista David Thomson, da RFI, especialista em jihadismo, trata-se de Essid.

Nos últimos três anos, Essid teria se mantido discreto, conseguindo assim escapar da vigilância que sofria para seguir para a Síria, há um ano.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.