Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 12/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 12/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 12/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 12/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 11/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 11/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Boko Haram mata dezenas de civis no norte de Camarões

media Militares de Camarões que integram a força africana contra o Boko Haram. AFP PHOTO / REINNIER KAZE

Os combates entre as tropas do Chade e de Camarões contra o Boko Haram continuam intensos. Na quarta-feira (4), o grupo terrorista matou pelo menos uma centena de pessoas na cidade de Fotokol, no norte de Camarões.

O principal ataque do grupo ultrarradical islâmico aconteceu no momento da oração. Os membros do Boko Haram invadiram uma mesquita de Fotokol, mataram todos os fiéis e incendiaram o edifício. Em seguida, eles entraram nas casas dos moradores da cidade e cometeram mais assassinatos.

Os combatentes islamitas que realizaram mais esse massacre fugiam da cidade nigerina de Gamboru. No começo desta semana, as tropas chadianas tentaram uma ofensiva terrestre para controlar a cidade. Mas, diante do grande número de jihadistas, avaliados entre 15 mil e 20 mil homens, os militares chadianos decidiram bombardear Gamboru com ataques aéreos que começaram no último final de semana. Cerca de 200 extremistas do Boko Haram teriam morrido no ataque, assim como nove soldados chadianos.

França apoia ofensiva contra Boko Haram

Durante coletiva à imprensa na manhã desta quinta-feira (5) no Palácio do Eliseu, em Paris, o presidente François Hollande declarou que a França apoia logística e operacionalmente as forças africanas contra o Boko Haram. O país fornece, por exemplo, equipamentos e munição, as tropas comandadas pela União Africana.

No entanto, Hollande alertou que “a França não pode agir em todas as regiões de conflito no mundo”. Um recado claro à comunidade internacional de que o país não pode ser a única potência mundial a agir contra o “Boko Haram que é uma seita terrorista que quer conquistar a população e impor uma violência execrável.”

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.