Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Rússia pode levar até dois anos para sair da crise, diz Putin

media O presidente russo, Vladimir Putin,durante entrevista coletiva de fim de ano em Moscou, nesta quinta-feira, 18 de dezembro. REUTERS/Maxim Zmeyev

O presidente russo, Vladimir Putin, prometeu aos russos que vai tira o país da grave crise econômica em, “no máximo dois anos” e aproveitou para acusar os países ocidentais de serem “imperadores” que pretendem ditar os passos a seus vassalos. As declarações foram feitas durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira (18).

As declarações de Putin foram feitas logo no início da coletiva de imprensa anual. Respeitando a tradição, o encontro de Putin com a imprensa começou com um pronunciamento sobre os principais acontecimentos do ano e, em seguida, o chefe de Estado respondeu às perguntas dos jornalistas. As últimas edições do encontro duraram, em média, 4 horas.

Nessa quinta-feira (18), Putin falou dos graves problemas econômicos que atingem o país. Provocada por um coquetel explosivo que mistura a queda dos preços do petróleo, principal fonte de recursos da Rússia, e as consequências da aplicação de sanções pelos Estados Unidos e pela Europa, a crise paira como uma grande ameaça em 2015. "Nesse cenário desfavorável para a conjuntura internacional, a situação pode durar dois anos, mas ela pode ser corrigida antes”, disse Putin.

No começo desta semana, a moeda russa sofreu uma desvalorização recorde, caindo 24% em relação a uma cesta de moedas estrangeiras. Numa reunião de emergência ontem, o premiê russo, Dmitri Medvedev reuniu ministros que atuam nas áreas políticas e financeiras, a presidente do Banco Central, Elvira Nabiullini, e empresários.

O mercado teme que a Rússia repita o episódio da crise de 98 e acabe arrastando os países emergentes. As autoridades russas têm, segundo analistas, pouca margem de manobra.

Crise na Ucrânia

Sobre a Ucrânia, Putin não mudou o tom e voltou a acusar as autoridades de Kiev de manter uma operação punitiva contra os rebeldes do leste do país. Ele emendou dizendo então que os “ocidentais se comportam como um império”.

O presidente russo continua muito popular em seu país e recentes pesquisas mostraram que ele tem o apoio e 82% da população.

 

 

 

 

 

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.