Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Ataques em Gaza continuam e Israel anuncia fim da trégua

media Soldado israelense prepara artilharia na fronteira com Gaza AFP PHOTO / JACK GUEZ

Apesar do anúncio de um cessar-fogo de 72 horas dos combates na Faixa de Gaza, que entrou em vigor nesta sexta-feira (1), pelo menos 25 palestinos morreram hoje, atingidos por bombardeios israelenses, segundo as autoridades palestinas. O exército de Israel se defende e acusa o Hamas de "violação flagrante" da decisão e anunciou o fim da trégua no final da manhã.

O cessar-fogo anunciado depois de 25 dias de conflito durou apenas algumas horas, apesar do compromisso assumido pelos israelenses e o Hamas. Diversas tréguas humanitárias já foram desrespeitadas desde o início da operação "Limite Protetor", no dia 8 de julho, que já deixou 1450 palestinos mortos.

Desta vez, a pausa nos combates foi anunciada antes do início das negociações no Cairo, no Egito, mediadas pelo governo egípcio, que cancelou a reunião depois do anúncio feito por Israel. As delegações palestina e israelenses deveriam chegar à capital do país nesta manhã, de acordo com um comunicado divulgado pela ONU e o governo americano.

A obtenção de um acordo, entretanto, se anuncia complexa desde o início, já que existem divergências profundas: além do fim dos ataques, o Hamas exige a retirada das tropas israelenses e o fim do bloqueio que impede a livre circulação de pessoas e mercadorias desde 2006 nas fronteiras com Israel e o Egito.

Outro impasse é a formação da delegação palestina, já que os egípcios não admitem que inclua membros do Hamas de Gaza.

O objetivo da operação israelense "Limite Protetor" é colocar um fim aos tiros de foguetes lançados no país pelo Hamas e seu aliados extremistas. O governo de Benjamin Netanyahu também quer neutralizar os túneis ocupados pelo Hamas utilizados para atingir Israel. O premiê disse nesta quinta-feira estar determinado a dar continuidade à ofensiva "até destruir todos os túneis."

Esses túneis sofisticados de concreto, com extensão de até 2km debaixo da terra, são a maior preocupação dos israelenses, já que têm objetivo declarado pelo Hamas de infiltrar militantes em Israel para cometer ataques terroristas os sequestros.

Cessar-fogo é essencial para ajuda humanitária

Em visita a Nove Délhi, o secretário de Estado americano John Kerry disse que o cessar-fogo é importante para "dar aos civis inocentes uma folga necessária para colocar fim à violência", disse. Segundo ele, os cerca de 1,8 milhões de habitantes de Gaza, a maioria menores, poderão receber ajuda humanitária "e uma pausa para enterrrar seus mortos e comprar provisões alimentares."

* Com a colaboração da correspondente em Tel Aviv Daniela Kresch
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.