Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Sul-africanos comemoram primeiro Mandela Day sem o líder

media Nelson Mandela morreu em 5 de dezembro de 2013. Reuters/路透社

O primeiro Mandela Day desde a morte, em dezembro, do líder da luta contra o apartheid na África do Sul acontece em todo o mundo nesta sexta-feira (18), dia em que o ex-presidente do país completaria 96 anos. Desde 2009, milhares de pessoas ao redor do mundo doam 67 minutos de seu tempo para o bem comum, em homenagem aos 67 anos que o prêmio Nobel da Paz dedicou à causa da liberdade.

Mais de mil atividades foram programadas em 126 países, como limpar um monumento e plantar legumes. A programação inclui ainda ações inusitadas - adotar um pinguim é uma delas.

A data mundial é reconhecida pela ONU, mas é na África do Sul que mais pessoas se dedicam ao próximo neste 18 de julho. O presidente sul-africano, Jacob Zuma, convocou os cidadãos do país a saírem às ruas com vassouras e baldes para ajudar a limpar hospitais, escolas e outros prédios públicos.

O próprio Zuma vai limpar uma escola no vilarejo onde Nelson Mandela nasceu, Mvezo, onde também vai inaugurar uma estátua do ex-presidente, morto no último dia 5 de dezembro. Mas a iniciativa suscitou críticas de contribuintes sul-africanos, que apontaram que a limpeza pública deve ser garantida pelo governo com o dinheiro dos impostos.

Vale tudo

Nas redes sociais, várias personalidades do país, como políticos, diplomatas e artistas, fazem questão de mostrar que arregaçaram as mangas neste Mandela Day. Desmond Tutu, que dividiu o Prêmio Nobel da Paz com o ex-presidente, incitou as pessoas a fazerem uma boa ação, nem que seja apenas sorrir para as outras.

Os jornais sul-africanos lembram as atividades mais tradicionais para comemorar o dia: oferecer ajuda em um orfanato, levar crianças pobres para assistir a um jogo em um estádio, doar livros a uma escola ou cobertores para crianças de rua, ajudar as idosas que cuidam de órfãos de pais com Aids, adotar um pinguim ou contribuir para a esterilização de 67 gatos de rua.

Já os militantes de organizações exaltam o tema oficial deste ano, a segurança alimentar. Associações promovem cursos gratuitos de cozinha e de jardinagem. Em outros países, o dia é marcado principalmente por conferências e shows.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.