Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/07 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Hamas recusa cessar-fogo em Gaza proposto pelo Egito

media Veículos militares israelenses posicionados perto da Faixa de Gaza nesta terça-feira (15). Reuters

O gabinete do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, votou a favor da iniciativa de cessar-fogo anunciada na segunda-feira (14) à noite pelo Egito. Mas o grupo islâmico Hamas já afirmou que não aceita o acordo, que colocaria um ponto final na mais recente rodada de hostilidades entre Israel e os combatentes palestinos, que já dura uma semana.

Daniela Kresch, correspondente da RFI em Tel-Aviv

A trégua sugerida pelo Egito, que teria começado às 9h da manhã, horário de Israel (3h da manhã em Brasília), já foi quebrada com um ataque do Hamas ao Sul de Israel.

De acordo com a proposta egípcia, Israel se comprometeria a parar com os ataques aéreos e com os preparativos para uma incursão terrestre em Gaza, além de reabrir as fronteiras com o território para mais mercadorias e pessoas.

Ao mesmo tempo, todas as facções palestinas atuantes em Gaza deixariam de disparar mísseis, foguetes e morteiros contra Israel.

Ontem, israelenses e palestinos continuaram com os disparos mútuos. Segundo fontes médicas palestinas, 178 palestinos teriam morrido e 1.100 teriam ficado feridos desde o início do conflito em consequência de mais de 1.400 ataques aéreos israelenses.

Já o Hamas ultrapassou a marca dos mil foguetes, mísseis e morteiros lançados contra o país durante o conflito, ferindo gravemente 5 pessoas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.