Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

ONU suspeita de crimes de guerra israelenses na Faixa de Gaza

media Palestinos fogem depois de ter suas casas atingida por bombas israelenses na Faixa de Gaza REUTERS/Majdi Fathi

O Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU declarou nesta sexta-feira (11) ter recebido relatórios "perturbadores" dos ataques israelenses contra casas palestinas, que matam civis indiscriminadamente. Entre eles, várias mulheres e crianças. De acordo com a porta-voz Ravina Shamdasani, essas informações "levantam dúvidas sobre a legalidade desses ataques do ponto de vista das leis humanitárias internacionais".

De fato, de acordo com a Convenção de Genebra, ataques a habitações são qualificados como crimes de guerra, a não ser quando os prédios são utilizados para fins militares. "Mesmo que se comprove que uma casa é utilizada para fins militares, qualquer ataque deve ser calculado, ter sua importância militar calculada e medidas de precaução têm de ser tomadas para proteger os civis", declarou Shamdasani.

A comissária Navy Pillar fez um apelo para que israelenses e palestinos desistam dessa escalada, que só causa sofrimento e destruição. "Israel, o Hamas e os grupos armados palestinos já escolheram essa via no passado e ela não trouxe nada além de mortes, destruição, desconfiança e um prolongamento doloroso do conflito", informou a comissária em comunicado.

O texto pede ainda que recursos militares não sejam colocados em áreas residenciais e que ataques não sejam lançados a partir desses locais.

Hamas ataca aeroporto internacional

Em represália aos bombardeios israelenses que mataram 100 palestinos em quatro dias, o braço armado do Hamas estabeleceu um novo alvo de ataques em Israel, o aeroporto internacional Ben Gurion, na periferia de Tel Aviv.

Em comunicado, o Hamas recomendou que as companhias aéreas interrompam o serviço ao aeroporto, que abriga uma base militar. O aeroporto chegou a ser fechado por nove minutos, mas depois foi reaberto. O grupo já disparou quatro M75 contra o aeroporto, mas eles foram interceptados pela bateria antimísseis israelense Domo de Ferro.

O sistema, construído por uma empresa israelense com financiamento norte-americano, tem conseguido bloquear a maior parte dos ataques contra o país.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.