Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/09 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Egípcios vão às urnas para escolher o novo presidente do país

media Favorito nas eleições presidenciais egípcias, Abdel Fattah al-Sissi, ao centro, chega com seguranças para votar no Cairo. REUTERS/Amr Abdallah Dalsh

Os eleitores egípcios começaram a votar nesta segunda-feira (26) para escolher o novo presidente do país. O ex-chefe das Forças Armadas, Abdel Fattah al-Sissi, aparece como grande favorito das eleições antecipadas, convocadas após a destituição de Mohamed Mursi em julho passado.

Longas filas marcaram o início da votação. A eleição, que vai durar dois dias, começou movimentada, com rumores de que uma bomba teria explodido em frente de uma zona eleitoral em uma cidade ao norte do Cairo. O boato foi desmentido em seguida pelo ministério egípcio do Interior.

Cerca de 53 milhões de eleitores foram convocados para escolher o novo chefe de Estado. O grande favorito do pleito é o marechal Abdel Fattah al-Sissi, ex-chefe das Forças Armadas e principal articulador da destituição de Mohamed Mursi. O militar de 59 anos, que já faz parte do governo interino desde a queda do presidente, é extremamente popular no país e seu rosto pode ser visto em cartazes nas ruas de praticamente todas as cidades egípcias.

No momento do voto, Sissi prometeu um futuro melhor para o país. “O mundo inteiro está nos assistindo enquanto escrevemos nossa história de hoje e de amanhã”, declarou o candidato.

Seu único adversário é Hamdine Sabahi, líder da coalizão de esquerda "Corrente Popular". Ele havia ficado em terceiro lugar na votação de 2012, que resultou na vitória de Mursi.

A oposição afirma que a eleição de Sissi vai confirmar o controle do exército no Egito. O governo interino já é considerado pelos defensores dos direitos humanos como mais autoritário que o de Hosni Mubarak, deposto em 2011.

Os resultados das eleições devem ser anunciados antes do dia 5 de junho.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.