Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Polícia indiana investiga estupro coletivo de turista dinamarquesa

media A estação de trem de Nova Déli perto da zona comercial de Connaught Place, onde a turista dinamarquesa que estava perdida pediu informações a um grupo de homens de como chegar ao seu hotel. fotopedia

A polícia indiana prendeu um grupo de cerca de 15 homens suspeitos de participar do estupro coletivo de uma turista dinamarquesa de 51 anos em Nova Delhi, indicou a polícia nesta quarta-feira (15). A mulher, que tinha se perdido na cidade, foi atacada depois de pedir informações a seus agressores.

A turista dinamarquesa tentava voltar para seu hotel no bairro de Pahargani, no centro da capital indiana, quando parou para pedir informações para um grupo de homens. Seis deles, armados de uma faca, a agrediram e roubaram seus pertences, de acordo com um policial.

Segundo as autoridades indianas, ela estava sozinha depois de ter visitado o Taj Mahal em Agra. Os detidos ainda estão sendo interrogados, de acordo com Deepak Mishra, delegado responsável pelo caso. A vítima se recusou fazer o exame de corpo delito para confirmar o estupro, mas concordou em prestar depoimento.

"Ela estava traumatizada mas pôde se lembrar de como o crime ocorreu", disse um policial. Segundo ele, foi graças ao seu testemunho que os homens puderam ser presos.

A recepcionista do hotel onde ela estava hospedada disse que ela chegou calma ao estabelecimento, pedindo dinheiro para pagar o táxi porque havia sido roubada. O embaixador da Dinamarca, Freddy Svane, disse que a vítima recebeu a assistência necessária.

Esta nova agressão sexual acontece dez dias depois de um outro estupro coletivo de uma polonesa que teria sido drogada e agredida por um motorista de táxi quando se dirigia à capital com sua filha de dois anos.

Há um ano, milhares de indianos foram às ruas para protestar contra o estupro coletivo de uma estudante, que morreu em consequência dos ferimentos. O caso trouxe à tona a situação de violência em que vivem as mulheres no país. As denúncias se multiplicaram e desde então ganharam destaque na imprensa indiana.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.