Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Putin concederá indulto ao ex-magnata Mikhaïl Khodorkovski

media Fotomontagem do magnata russo do petróleo Mikhaïl Khodorkovski, (centro), Nadejda Tolokonnikova, 24 anos( a esquerda), e Maria Alyokhina, 25 anos, cantoras do Pussy Riot. REUTERS/Sergei Karpukhin/ Grigory Dukor/Files/Stringer

O presidente russo Vladimir Putin disse nesta quinta-feira, no final de sua entrevista coletiva anual à imprensa, que assinará um decreto para conceder o indulto ao ex-magnata do petróleo Mikhaïl Khodorkovski, preso desde 2003 por corrupção e fraude fiscal. Lei da Anistia também poderá beneficiar as Pussy Riots e membros do Greenpeace.

"O decreto será assinado rapidamente", disse Putin. Segundo ele, o ex-magnata escreveu uma carta em seu nome pedindo o indulto, como manda a lei, o que Khodorkovski tinha se recusado a fazer até agora.

"Ele já passou mais de dez anos em detenção, é uma punição séria. Além disso, existem questões de ordem humanitária, sua mãe está doente, e estimamos que podemos essa decisão", disse o presidente russo.

A advogada de Mikhaïl Khodorkoviski, Karina Moskalenko, disse que por enquanto não tinha maiores informações sobre o andamento do pedido.

O chefe de estado russo também confirmou que duas integrantes do grupo punk Pussy Riot serão liberadas depois da adoção da lei da Anistia pelo Parlamento.

Medida poderá beneficiar Pussy Riot e membros do Greenpeace

A medida beneficia mulheres com filhos pequenos, caso de Maria Alekhina et Nadejda Tolokonnikova. As duas foram condenadas pela Justiça em 2012 depois de executar uma performance anti-Putin na catedral de Moscou.

A nova lei também poderá beneficiar os 30 integrantes do Greenpeace presos em setembro por invadir uma plataforma da Gazprom no oceano Ártico.

Entre elas está a brasileira Ana Paula Maciel, que está em liberdade condicional sob pagamento de fiança desde novembro, mas que continua em território russo aguardando seu julgamento.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.