Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/07 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Cadáveres de mais de 90 imigrantes são encontrados no deserto

media Dois ônibus levando mais de 100 pessoas rumo a Argélia teriam parado de funcionar condenando passageiro a morte no deserto.. Flickr/antspin

Mais de 80 cadáveres de imigrantes foram encontrados no norte do Níger, a uma dezena de quilômetros da fronteira com a Argélia, segundo informações de fontes militares divulgadas nesta quinta-feira.

As vitimas, 7 homens, 32 mulheres e 48 crianças, estavam reunidas em pequenos grupos num raio de 20km. Outras cinco mulheres e cinco meninas do mesmo grupo já haviam sido encontradas mortas, somando um total de 92 pessoas. Os números confirmam que esta é a pior tragédia do gênero em uma década no país africano.

Eles teriam morrido de sede e fome no início de outubro, depois que os dois ônibus que os transportavam em direção a Argélia enguiçaram em pleno deserto. Apenas 21 pessoas sobreviveram, entre eles um homem que percorreu 83km a pé até alcançar a cidade de Arlit.

O Níger, um dos países mais pobres do mundo, vive uma crise alimentar, que leva um grande número de pessoas a partirem em busca de melhores condições nos países vizinhos. A morte de imigrantes clandestinos abandonados por seus atravessadores é cada vez mais frequente.

Nesse mês, outra tragédia que provocou a morte de centenas de imigrantes africanos em um barco em direção a ilha italiana de Lampedusa, chocou a imprensa internacional e pressionou para a abertura do debate entre líderes da União Europeia sobre a crise da imigração ilegal. Mais de 32 mil imigrantes entraram no sul da Europa este ano vindos de países africanos.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.