Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Tufão Man-yi chega à região de Fukushima e ameaça central nuclear

media As fortes chuvas que acompanham o tufão Man-yi deixaram várias regiões do Japão inundadas. Aqui a cidade de Fukuchiyama, localizada na província de Kyoto. REUTERS/Kyodo

O tufão Man-yi, que começou a atravessar neste domingo áreas habitadas do Japão, avança sobre zonas afetadas pelo terremoto e o tsunami de 11 de março de 2001, pondo em risco a central nuclear de Fukushima. As chuvas poderão aumentar o volume de água radioativa. Segundo o canal de TV NHK, o tufão já deixou dois mortos e 127 feridos. Quatro pessoas estão desaparecidas.

A Tepco, empresa responsável pela central de Fukushima, anunciou ter tomado "medidas de emergência" para retirar a água da chuva acumulada na usina. Técnicos construíram muros no entorno dos depósitos de água contaminada, para evitar que essa água se misture com a água da chuva, que está sendo direcionada para o oceano Pacífico. A Tepco também reforçou a fixação das canalizações que garantem o resfriamento dos reatores acidentados.

Nesta segunda-feira, as autoridades japonesas anularam pelo menos 500 voos para o país. A circulação de trens-bela também foi reduzida. Em várias regiões, as autoridades lançaram "alertas especiais". O tufão é acompanhado de ventos de 160 km/h e chuvas torrenciais descritas como "terríveis" pela população.

Em Kyoto e Osaka, por causa das ameaças de deslizamento de terra, 500 mil pessoas receberam ordens para abandonar suas casas. Elas foram levadas para abrigos.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.