Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/04 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 20/04 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 20/04 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/04 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/04 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/04 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/04 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Palestinos irão à Corte Penal Internacional, se envenenamento de Arafat for confirmado

media Pintura em muro na Faixa de Gaza mostra imagem do líder palestino Yasser Arafat. Reuters/Mohammed Salem

Especialistas franceses, suíços e russos vão examinar amostras do corpo do ex-líder palestino, Yasser Arafat, para identificar a causa da sua morte em 2004, na França. Caso a denúncia de assassinato feita por sua viúva, Suha, em um tribunal francês seja confirmada, os palestinos vão recorrer à Corte Penal Internacional, segundo o chefe da comissão de enquete palestina, Taoufiq Tiraou.

A coleta de material foi feita na manhã desta terça-feira em Ramallah, na Cisjordânia, por volta das 8h da manhã, horário local. Seu corpo foi enterrado novamente e seu túmulo selado. Em seguida, uma cerimônia militar for realizada diante do mausoléu, localizado na sede da presidência da Autoridade Palestina.

“Hoje o espírito de Arafat saiu de seu túmulo para apoia nossa empreitada na ONU”, declarou Tiraou na televisão. Já que nesta terça-feira, o atual presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, viajou para Nova York, onde a Assembleia Geral das Nações Unidas deve se pronunciar na quinta-feira sobre o pedido palestino de integrar o órgão como Estado observador.

Três juízes franceses envolvidos no processo acompanharam a exumação, que aconteceu na presença do mais alto líder islâmico palestino, Mohammad Hussein. Os jornalistas foram impedidos de acompanhar o ocorrido e apenas a televisão nacional palestina foi autorizada a registrar a cerimônia em homenagem a Arafat.

A suspeita de envenenamento do líder palestino voltou à tona em julho, após a difusão de um documentário da rede de televisão Al-Jazeera, do Catar, revelando traços de polônio-210, substância radioativa, em seus objetos pessoais.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.