Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Golpe de Estado no Mali leva União Africana a se reunir em urgência

media Militares do Mali foram à central pública de televisão na capitam Bamaco para declararar o golpe de Estado. Reuters/Malin Palm

A União Africana realiza nesta sexta-feira uma reunião de urgência para discutir o golpe de Estado aplicado por militares no Mali. Pelo menos três pessoas morreram durante o confronto entre os amotinados e a guarda presidencial, no momento em que o presidente Amadou Toumani Touré foi deposto.

Os golpistas dissolveram a Constituição e todas as instituições do país e fecharam as fronteiras. O golpe provocou uma onda de condenações no exterior por todas as principais organizações internacionais e dezenas de países, como a França e os Estados Unidos.

Uma fonte militar afirma que o presidente está na capital, Bamaco, em um acampamento militar protegido por homens da guarda presidencial.

O Mali previa realizar eleições presidenciais em 29 de abril, apesar de uma revolta tuareg lançada em janeiro, que provocou o êxodo de 206 mil pessoas para nações vizinhas, segundo a ONU.

Na quarta-feira, soldados se amotinaram para exigir, segundo eles, mais fundos para a guerra contra os rebeldes do norte, região imensa e desértica onde são registradas atividades de grupos islâmicos armados como a Al-Qaeda do Magreg Islâmico.

O motim chegou até a capital e depôs o Touré após confrontos com soldados revoltosos e a guarda presidencial. Em dois dias, houve 40 feridos, entre alguns civis, atingidos por balas perdidas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.