Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/02 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/02 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/02 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/02 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/02 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/02 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Japão aprova novo orçamento para reconstrução do país após tsunami

media Vista aérea da Usina Nuclear de Fukushima Daiichi no dia 24 março de 2011. Reuters/Air Photo Service

O governo japonês aprovou, nesta terça-feira, um orçamento suplementar de 24 bilhões de dólares, para ajudar as vítimas da catástrofe de Fukushima.

O novo pacote financeiro, precedido por outro no valor de 48 bilhões de dólares, será votado no parlamento em meados de Julho. A maior parte dos fundos irá ajudar na reconstrução do nordeste devastado pelo terremoto de magnitude 9 na escala Richter, seguido de um tsunami, que deixou 23 mil mortos e desaparecidos, em março desse ano. O restante do investimento vai para as autoridades locais das regiões devastadas e para pessoas que tiveram as casas destruídas ou danificadas pela catástrofe.

O orçamento também prevê o pagamento de indenizações de valores entre 1.200 e 3.500 dólares para as 160 mil vítimas do acidente nuclear da usina de Fukushima, que tiveram que deixar seus domicílios após a passagem do tsunami pela central, situada a 220 km ao nordeste de Tóquio. Os detalhes do orçamento suplementar foram validados pelo primeiro ministro Naoto Kan.

Demissão - Ao mesmo tempo em que o pacote de ajuda era validado pelo primeiro ministro, o Ministro da Reconstrução, Ryu Matsumoto, pedia demissão. A saída de Matsumoto, apenas uma semana depois de assumir o cargo, foi motivada por declarações polêmicas sobre as zonas devastadas pelo tsunami. Segundo o Ministro "o governo iria ajudar apenas os municípios que contribuem com idéias, e não os outros".

Matsumoto, nomeado no dia 27 de junho, é o quarto ministro a pedir demissão por causa de escândalos e polêmicas desde que o Primeiro Ministro Naoto Kan chegou ao poder em junho de 2010. Ele será substituído por Tatsuo Hirano.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.