Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 21/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 21/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/08 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Mais um barco da flotilha para Gaza é interceptado na costa da Grécia

media Embarcações da flotilha continuam esperando para zarpar nos portos gregos. Reuters

Um navio canadense com ajuda humanitária para Gaza foi interceptado pelas autoridades gregas poucos minutos após ter zarpado. As dez embarcações da flotilha querem romper o bloqueio imposto por Israel aos palestinos da região. 

O barco Tahrir deixou o porto de Creta com cerca de 40 pessoas, a maioria deles canadenses, além de alguns belgas, franceses, italianos e turcos. Segundo David Heap, um dos militantes à bordo do navio, a guarda costeira bloqueou a embarcação e os obrigou a voltar para a ilha. “O barco foi tomado, mas ninguém foi preso. Eles estão nos levando para Creta, mas nosso destino é e continua sendo Gaza”, disse o ativista.

No fim de semana um barco com americanos havia tentado zarpar, mas também foi impedido pelas autoridades gregas. Atenas já havia proibido a flotilha de ajuda humanitária a deixar sua costa, e propôs que o carregamento fosse transportado por barcos gregos até Gaza. Os militantes criticam a atitude do premiê Georges Papandréou, e o acusam de estar “vendendo a alma de Grécia”.

Durante o dia os membros da delegação francesa da flotilha manifestaram contra o bloqueio grego. Em sinal de protesto, eles simularam uma falsa partida do navio Louise Michel. Os membros do grupo embarcaram, hastearam bandeiras e entoaram gritos de guerra em favor dos palestinos. A ação foi coroada pelo capitão, que acionou momentaneamente os motores da embarcação.

Em maio de 2010 uma outra flotilha, comandada por uma Ong turca, foi interceptada pelas forças israelenses quando se aproximava do enclave. A ofensiva resultou na morte de nove militantes pró-Palestina.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.