Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Turquia decide ajudar os refugiados sírios além de suas fronteiras

media Acampamentos acolhem refugiados sírios do lado turco da fronteira. Reuters

Diante do número cada vez maior de pessoas que tentam chegar à Turquia, fugindo da repressão do regime de Bachar al-Assad, as autoridades turcas começaram a ajudar os refugiados do lado sírio da fronteira. Essa é a primeira vez que Ankara realiza esse tipo de operação humanitária, que pode ser interpretada como uma forma de ingerência.

Segundo o comunicado da agência turca encarregada da gestão de catástrofes, “a distribuição de ajuda humanitária começou para responder às necessidades dos cidadãos que esperam do lado sírio da fronteira”. A decisão foi tomada pelo ministro turco das Relações Exteriores, Ahmet Davutoglu, durante uma visita aos acampamentos realizada esta semana.

Nos últimos dias, várias ONGs turcas já ajudavam clandestinamente os refugiados, atravessando a fronteira durante a noite para transportar comida e medicamentos aos sírios. Mas a partir de agora a operação é feita oficialmente, e conta com a colaboração do exército da Turquia.

Do ponto de vista diplomático, mesmo se o envio de ajuda é realizado no chamado “ponto zero” (zona de encontro das duas fronteiras), a manobra pode ser vista como uma forma ingerência humanitária, já que a ação se passa dentro do território sírio. Uma iniciativa que atesta a irritação das autoridades de Ankara, obrigadas a receber nos últimos dias as mais de 10 mil pessoas que atravessaram a fronteira fugindo da repressão do regime do presidente Bachar al-Assad.

A maioria dos refugiados são originários da cidade de Jisr al-Choughour e vilarejos próximos da região, que foi palco de violentas ofensivas militares. Milhares de refugiados continuam acampados do lado sírio, temendo cruzar a fronteira com a Turquia. As condições precárias dos acampamentos preocupam as autoridades.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.