Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Talibãs reivindicam ataque que matou oito estrangeiros

media Talibãs assumem autoria de atentado contra estrangeiros. AFP

Dez membros de uma associação humanitária - seis americanos, um britânico, um alemão e dois afegãos- foram mortos, nesta sexta-feira, por atiradores talibãs no noroeste do Afeganistão. Os radicais islâmicos disseram ter atacado o grupo por considerarem que eles pregavam o cristianismo na região. Já a polícia afegã informou que se tratavam de médicos que voltavam de uma missão para oferecer ajuda oftalmológica para populações carentes.

 

As vítimas pertencem à organização « International Assistance Mission », uma das mais antigas ONGs em atividade no Afeganistão. A organização humanitária atua na capital afegã Cabul e também em oito provícias do país. No momento do ataque, os agentes humanitários viajavam de Nouristan para Badakhshan, uma região na fronteira com o Paquistão e onde a influência dos talibãs é muito forte. Apesar do perigo potencial, a equipe não viajava com nenhum esquema especial de segurança.

O diretor executivo da organização Missão de Assistência Internacional, Dirk Frans, declarou que os corpos dos 8 estrangeiros e dos 2 afegãos foram encontrados na província de Badakhshan. Segundo ele, originalmente, o grupo era formado por 12 pessoas, mas dois afegãos conseguiram escapar do massacre. Um deles, Saifullah, testemunhou diante da polícia local.

Segundo ele, o grupo passou várias noites na região para tratar dos pacientes. No último dia, disse Saifullah, « um grupo de homens armados chegou e atirou neles. Eles também roubaram dinheiro e pertences ». Saifullah disse ainda que só conseguiu sobreviver porque, quando estava prestes a ser assassinado, recitou versos do Corão. Ao perceber que ele era muçulmano, contou, o grupo não atirou.

Zabihullah Mujahid, um dos porta-vozes dos talibãs, afirmou por telefone, de um local não identificado, que os estrangeiros eram missionários cristãos e que transportavam bíblias e mapas que indicavam a localização de grupos talibãs. « Eles estavam perdidos. Quando nossa patrulha [os talibãs] os encontraram, eles tentaram fugir e foram mortos », resumiu Mujahid.

Em um comunicado, a embaixada americana disse ter informações das mortes, mas afirmou que ainda não havia sido possível confirmar a nacionalidade das vítimas.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.