Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 14/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 14/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Zuco 103 promove a diferença musical com sotaque brasileiro na Holanda

Zuco 103 promove a diferença musical com sotaque brasileiro na Holanda
 
A cantora Lilian Vieira faz a promoção do mais recente trabalho do trio Zuco 103 em Paris RFI

Há quase 20 anos Zuco 103 sacode os holandeses com seu estilo musical que mistura ritmos do mundo todo, mas com sotaque brasileiro. O trio está atualmente em turnê pela França, divulgando o disco Etno Chic.

A mestiçagem do Zuco 103 já começa com sua formação, entre a vocalista brasileira Lilian Vieira, o baterista alemão Stefan Kruger e o pianista holandês Alex Oele. E as origens de seus membros, que poderia representar uma dissonância, acabou se tornando a força do trio. “A essência do Zuco é a diferença entre nós”, conta a cantora em entrevista à RFI.

“A Holanda é uma país muito pequeno, mas com uma variação enorme de nacionalidades e de estilos”, lembra Lilian, que vê na curiosidade pelo outro um de seus motores. “Stefan é um baterista de jazz, que me apresentou Alex, um pianista louco por música eletrônica. Queríamos tanto conhecer a base (musical) de cada um que, cada vez que eles me mostravam algo novo, eu aceitava fazer só porque achava muito estranho”, comenta, com humor, a cantora.

O resultado dessa diversidade é mais uma vez presente no Etno Chic, que o trio apresenta esta semana em Paris, antes de seguir para Lyon. Com canções praticamente opostas, como a romântica “O amor e o medo”, ou “Laundry Slave”, uma espécie de manifesto de uma lavadeira do Rio de Janeiro com batidas quase tribais, Zuco 103 contagia o público por onde passa, sempre cantando em português.

“Nosso trabalho é muito bem recebido", apesar da questão do idioma, comenta a vocalista. “Eu sempre tento explicar o que diz a música mas, na verdade, eles estão mais a fim de dançar”.

Ouça a entrevista completa clicando na foto acima ou assista o vídeo. 


Sobre o mesmo assunto

  • A Semana na Imprensa

    Revista do jornal Le Monde elogia Anitta, a “Beyoncé carioca”

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    Conheça Matthieu Doat, o “francês do samba”, que lança em Paris novo projeto musical entre França e Brasil

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    Músico brasileiro quer transformar Lille em capital do choro

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.