Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

"Prêmio em Locarno me dá ânimo para continuar":Sara Silveira, produtora

 
Sara Silveira produziu "As Boas Maneiras", prêmio do Júri no Festival de Locarno de 2017 Divulgação

A produtora de cinema Sara Silveira tem uma carreira longa e bem sucedida. No Festival Internacional de Cinema de Locarno, que se encerrou neste fim de semana, ela compartilhou com os diretores Juliana Rojas e Marco Dutra, o Prêmio Especial do Júri com o longa "As Boas Maneiras".

Colaboração de Rui Martins, do Festival de Locarno

Abordando o universo do sobrenatural, o filme "As Boas Maneiras" conta a história de Ana, interpretada por Marjorie Estiano. Grávida, ela procura uma babá para quando a criança nascer, e contrata a solitária Clara, vivida pela atriz Isabél Zuaa. Os meses passam e Ana começa a se comportar de forma cada vez mais estranha, criando hábitos noturnos até dar à luz um pequeno lobisomen.

Para Sara Silveira, que faz questão de frisar que sem a parceria com a França, que co-produziu o trabalho, o filme não teria visto a luz do dia, esse prêmio nos 70 anos do Festival de Locarno é um reconhecimento ímpar: "O prêmio nos dá ânimo para continuar fazendo o nosso filme brasileiro. Desde 2011, com "Trabalhar Cansa", projetado na mostra Um certo Olhar, no Festival de Cannes, os realizadores trabalham no caminho do fantástico e agora se deu mais um passo com o horror, mas um horror suave. Esse era o desafio, fazer um filme de autor com performances tecnológicas importantes, digitais, e acho que podemos atingir o público. Depois da apresentação, fomos muito cumprimentados aqui em Locarno, pelo público, pelos cinéfilos, pelos profissionais do cinema, e finalmente sentimos que "As Boas Maneiras" estava se comportando com boas maneiras", ela brinca.

Quanto ao desafio de fazer cinema no Brasil, Sara é otimista. "A dificuldade existe, mas com essa abertura com a Europa como a gente tem, principalmente com a França, que reconhece o cinema brasileiro, e hoje reconhecida por esse festival magnífico (...)  com um filme surpreendente, um imenso desafio que, confesso a todos, tinha muito medo de apresentá-lo, finalmente, parece que os raios de luz chegaram e ganhamos o prêmio especial do júri, e isso só me conforta e me dá ânimo para continuar fazendo o cinema brasileiro", diz a produtora.

O prêmio prestigioso em Locarno fortaleceu o entusiasmo de Sara para as futuras produções. "É claro que essa vitória vai nos dar um gás enorme e a gente não pára. Vou rodar outro filme em setembro, outubro, e logo depois, outro em março. A resposta, até mesmo social para o nosso país, são os nossos filmes. Cinema é educação, é pensamento, é raciocínio, as salas escuras levam a raciocinar, a pensar... Viva o cinema brasileiro, estou muito feliz e que tudo isso me faça continuar sonhando, sonhando... "

Sara Silveira vai começar a filmar o longa "Ainda Temos a Solidão da Noite", de Gustavo Galvão, uma produção nacional com uma parte filmada em Berlim, um filme de rock e jazz.

 

 

 

 


Sobre o mesmo assunto

  • RFI CONVIDA

    Misticismo e ceticismo dão o tom do filme "Rio Mumbai", de Pedro Sodré

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    Em Locarno, diretora Juliana Rojas apresenta filme sobre lobisomem em São Paulo

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    “Elis foi esnobada antes de fazer sucesso em Paris”, diz diretor Hugo Prata

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    Mulheres buscam reconciliação com o passado em "road movie" amazônico

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    “Maioria dos filmes nacionais sequer chega ao conhecimento do público”, alerta o crítico Sérgio Rizzo

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.