Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 24/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/08 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 24/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 24/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Sílvio Tendler alerta sobre agrotóxicos em festival parisiense

Sílvio Tendler alerta sobre agrotóxicos em festival parisiense
 
O festival Brésil en Mouvement acontece em Paris até 18/10. DR

“O veneno está na mesa II” é um dos documentários de Silvio Tendler no Festival Brasil em Movimento, que acontece em Paris. O média-metragem faz parte da “trilogia da Terra”, que traz alertas sobre os riscos dos agrotóxicos na alimentação e faz uma forte defesa em prol de um projeto de desenvolvimento rural sustentável e solidário e democratização do acesso à terra.

Silvio Tendler – autor de documentários como Anos JK, Jango e da minisérie Anos Rebeldes - conta que o tema surgiu em 2010, durante um jantar com o escritor Eduardo Galeano, no Uruguai. O autor de “Veias Abertas da América Latina”, morto em abril de 2015, falou a Tendler “sobre a tristeza de ver um país como o Brasil, vivendo uma democracia, ser ao mesmo tempo o maior consumidor de agrotóxicos do mundo”.

Eduardo Galeano abre o documentário: “A história da América Latina é uma longa história de perda, de usurpação e de roubo dos recursos naturais. A consciência da necessidade de preservar e defender esses recursos não é tão acelerada quanto o processo do próprio roubo, que continua. Um exemplo revelador é o uso de agrotóxicos, que é permitido em paises progressistas em nome da produtividade, sem se importar com o que acontece com a terra, com as pessoas, que são muito mais importantes”.

Experiências e alternativas

A partir da inspiração de fazer um filme sobre o tema, Tendler se encontrou com João Stédile, do Movimento dos Sem Terra, que falou ao cineasta sobre a campanha da ONG contra o uso de agrotóxicos. “E o filme deu certo, já foi visto por mais de cinco milhões de pessoas”, conta Tendler.

“O veneno está na mesa” é um filme duro, que incomoda. Apoiado por muita pesquisa, o documentário fala sobre o uso extenso de agrotóxicos na agricultura brasileira e os danos que isso pode causar à saúde não só de consumidores, mas como de pessoas que manipulam os produtos ou simplesmente vivem em áreas “tratadas”.

“O Veneno está na mesa” 2, que o festival Brasil em Movimento, de Paris, apresenta neste ano, traz alternativas, portas e janelas para o quadro negro apresentado no primeiro episódio.

Agroecologia

O filme de Tender mostra experiências que deram certo, como o biofertilizante, um tipo de adubo verde, feito a partir de esterco, ou cooperativas agroecologicas, que potencializam produção e distribuição de produtos orgânicos. O ator Marcos Palmeira é outro entrevistado do documentário. Ele conta sua experiência de recuperação de uma propriedade rural.

Para saber mais, os documentários de Silvio Tendler estão disponíveis no Youtube.

O Festival Brasil em Movimento acontece até o dia 18 de outubro, em Paris.
 


Sobre o mesmo assunto

  • Reportagem

    Festival de Biarritz revela diversidade do cinema do Equador

    Saiba mais

  • Suíça

    Filme sobre o 7 a 1 para a Alemanha é destaque no Festival de Cinema de Locarno

    Saiba mais

  • Festival/Toulouse

    "Ausência", de Chico Teixeira, leva prêmio de melhor filme no festival latino de Toulouse

    Saiba mais

  • Cinema/Brasil

    Casa Grande retrata o aprisionamento da sociedade brasileira, diz Le Monde

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.