Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Verão no Brasil pode ter invasão de argentinos atraídos pelo real barato

Verão no Brasil pode ter invasão de argentinos atraídos pelo real barato
 
Com a desvalorização do real, um grande número de turistas argentinos é esperado nas praias brasileiras no verão. Alexandre Macieira/ Riotur

O outro lado da moeda, ou melhor, o lado bom da desvalorização do real é um esperado aumento do turismo estrangeiro no Brasil. Atraídos pelo custo agora reduzido de viajar ao Brasil, turistas estrangeiros, especialmente os dos países vizinhos, começam a planejar as férias de verão nas praias brasileiras. Essa tendência já é vista na Argentina, historicamente o maior mercado emissor de turistas para o Brasil.

Marcio Resende, correspondente da RFI em Buenos Aires

Se o brasileiro olha para a taxa de câmbio e fica assustado, os vizinhos olham para a desvalorização do real e festejam: as próximas férias serão no Brasil. O país está cada vez mais barato para quem chega com moeda forte no bolso. Durante os últimos anos, o real valorizado afastava o turista estrangeiro e o custo de vida no Brasil fazia o turista conter o gasto, mas essa situação se inverteu. A próxima temporada de verão deve registrar um "boom" de turistas argentinos nas cidades brasileiras, por exemplo.

A desvalorização do real, sem o aumento proporcional da inflação, barateou o custo Brasil para os estrangeiros. É verdade que todas as moedas tiveram desvalorização perante o dólar norte-americano, mas o real brasileiro foi a que mais perdeu valor.

Vizinhos estão em situação melhor

No último ano, o real perdeu quase 70% do seu valor. Só neste ano de 2015, a erosão da moeda brasileira está acima de 55%. No mesmo período, o peso chileno perdeu 14% do seu valor, o peso uruguaio recuou 18% e o peso argentino, caiu 12%. Para os turistas da região, o Brasil ficou mais barato do que Chile, Uruguai e Argentina.

A desvalorização do real combina com alguns elementos únicos nesse momento na Argentina. Em primeiro lugar, estamos num processo eleitoral para presidente e o governo não pode permitir turbulências cambiais que assustem o eleitor e prejudique o candidato da presidente Cristina Kirchner, o governador da província de Buenos Aires, Daniel Scioli. Então, o peso argentino está sendo mantido artificialmente valorizado por meio de uma série de manobras financeiras.

Argentinos viajam ao Brasil antes da derrocada prevista do peso

Cristina Kirchner sabe que precisaria permitir uma desvalorização da moeda, mas não quer pagar esse custo político. Quer deixar o campo minado para o próximo governo, a partir de 10 de dezembro. Os argentinos sabem disso e antecipam as compras. Aproveitam essa valorização do peso, mas também aproveitam que podem pagar as despesas de forma parcelada entre 12 e 24 prestações sem juros. Essas condições num país com 30% de inflação são atraentes.

Como aconteceu com os brasileiros, os argentinos pagarão a conta depois da eleição presidencial. O mercado prevê uma forte desvalorização da moeda argentina no primeiro semestre de 2016. A farra de argentinos no Brasil é agora, enquanto o pior não chega.

Agências de viagem notam aumento da procura

As operadoras argentinas notam um aumento das reservas para o Brasil de 10% a 30%, conforme o destino. No Uruguai, as projeções são as mesmas.

A Embratur começa na semana que vem uma campanha para divulgar os destinos brasileiros nos países da América do Sul. Amanhã, será aberta a Feira de Turismo de Buenos Aires, a maior do país, onde o Brasil e a Embratur estarão em destaque.

 


Sobre o mesmo assunto

  • Fato em Foco

    Apesar da crise, setor do turismo da Grécia deve bater recorde de lucros esse ano

    Saiba mais

  • Economia

    Com carne halal e piscinas para mulheres, turismo muçulmano vive “boom” econômico

    Saiba mais

  • Brasil

    Brasil promove cidades da Copa em feira de turismo portuguesa

    Saiba mais

  • Fato em Foco

    Para especialista, Brasil precisa de políticas permanentes para o turismo

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.