Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Google lança serviço para ajudar nas buscas sobre saúde

Google lança serviço para ajudar nas buscas sobre saúde
 
O Google está lançando um novo serviço para ajudar nas buscas sobre saúde Reuters

Quem nunca entrou no Google para procurar informações relacionadas à própria saúde? Mais de 20% das buscas do site giram em torno do tema, de acordo com a empresa.

Para ajudar os internautas a encontrarem mais facilmente respostas para suas perguntas sobre saúde, o site acaba de anunciar o lançamento de um serviço que reúne todas as informações básicas sobre diferentes males e seus sintomas: é contagioso ou não? Pode ser grave? Corro risco de vida? Trata-se de uma ficha completa, acompanhada de ilustrações e possíveis riscos.

De acordo com Google, que publicou a notícia em seu blog, o trabalho de compilação foi elaborado com a ajuda de uma equipe de médicos liderada pelo doutor Kapil Parakh, cardiologista do renomado hospital americano John Hopkins, em Baltimore. “Esse novo serviço não tem relação com aquilo que as pessoas chamam de ‘Dr. Google’, não tem a intenção de diagnosticar o internauta. Quem está com problema de saúde deve procurar um médico seja pessoal ou virtualmente”, diz Gabriela Manzini, gerente de comunicação da empresa no Brasil. Ela se refere aos bilhões de doentes que teclam freneticamente no site em busca de uma resposta rápida para seus sintomas. A prática se tornou, literalmente, uma dor de cabeça para os médicos, já que muitos pacientes criam doenças imaginárias, tomam remédios por conta própria ou entram em pânico antes de saber qual é exatamente o problema.

“Existe um ponto importante, que deve ser ressaltado”, explica Gabriela. “Essas informações nem sempre são alvo da pesquisa de alguém que acha que tem a doença. Às vezes a pessoa está apenas interessada no assunto. Por isso não há um paralelo”, diz. “O Google já é uma fonte de informação primária para quem busca dados sobre uma doença. Uma em cada 20 buscas globais estão relacionadas à saúde”, afirma.

De acordo com ela, o principal objetivo do novo serviço é tornar a informação médica o mais acessível e clara possível. “O problema é que essas informações, que estão em sites confiáveis, normalmente são cheias de jargões. O que o Google quer fazer é transformá-las em algo mais palatável, as colocando no topo da lista de resultados”, declara.

A gerente de comunicação explica que as informações básicas sobre a doença são acompanhadas de ilustrações, como em uma enciclopédia. Para isso, a empresa adotou a tecnologia que já é utilizada no Knowledge Graph, uma base de dados do Google que reúne informações coletadas em diferentes fontes, incluindo sites especializados. O novo serviço por enquanto só está disponível nos Estados Unidos, para os sistemas Android e IOS, e deve chegar em breve ao Brasil.

Objetivo não é diagnosticar doenças

Gabriela frisa que a ideia não é incentivar nenhum tipo de diagnóstico. “Normalmente quando as pessoas têm uma curiorisidade ou suspeita de que estão com alguma doença, elas recorrem ao Google em busca das primeiras informações. O foco do site é ficar em torno dessa dúvida inicial. Não é o diagnóstico”, afirma.

"Fizemos isso com a ajuda de médicos profissionais, equipes médicas, ilustradores médicos certificados. Basicamente, quem recorrer ao Google para procurar algo sobre as doenças mais pesquisadas, vai encontrar informações sobre sintomas, contágio ou prevalência na população, já “mastigadas”, com uma fonte confiável por trás. Sabemos que o site é uma lugar para onde as pessoas vão quando têm alguma suspeita médica, por conta delas ou alguém próximo", detalha.

Busca pode ser angustiante, diz médico

O neurologista Ricardo Teixeira lembra que o uso do Google para verificar doenças pode ser perigoso. “No dia a dia, o que mais percebo de angustiante, tem sido a relação de termos que chegam até as pessoas, que olham para esses termos e ficam desestruturadas porque viram que eles podes ser gravíssimos ou muito simples.” Ele lembra, assim como Gabriela, que apenas um médico está apto a avaliar a saúde de um paciente.

 

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.