Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Jornais franceses consideram pena contra Brandão “exagerada”

media O brasileiro Brandão, jogador do Bastia, durante jogo contra o PSG. Facebook/ SC Bastia

A imprensa francesa considerou "exagerada" a decisão de um tribunal de Paris que condenou Brandão, do clube Bastia, a um mês de prisão pela cabeçada contra Thiago Motta, jogador do PSG.

O "veredicto foi muito severo", escreveu o jornal Le Figaro. Com essa pena de 1 mês de prisão em regime fechado e uma multa de € 20 mil (R$ 60 mil reais), a justiça foi “além do que havia pedido o Ministério Público, que havia solicitado oito meses de prisão com direito a sursis e uma multa de € 15 mil”. O jornal revela que o jogador brasileiro pode não passar esse mês atrás das grades. Essa pena de prisão deve ser transformada em uma pena de trabalho. Ou seja, durante esses trinta dias, Brandão teria que fazer atividades de interesse geral.

O advogado de defesa do atacante criticou a condenação do seu cliente e argumentou que ela foi desproporcional. "As pessoas dizem que os jogadores de futebol não devem ficar acima da lei, mas eles não podem ficar abaixo da lei", disse o advogado Olivier Martin ao Figaro.

Caso Brandão deve servir de exemplo

O jornal Aujourd'hui en France também fala do assunto e coloca uma foto de Brandão na primeira página. O diário declara que a "punição foi exemplar", mas pondera que pode ter sido desproporcional.

O jornal afirma que quiseram usar o caso de Brandão “como exemplo para prevenir novos episódios de violência” entre jogadores no futuro. Ao proferir a sentença, o juiz argumentou que, diante do clima de violência que se instala em muitas partidas de futebol, era preciso enviar uma mensagem clara de que agressões não serão toleradas. Mas, no mundo esportivo, essa condenação causou perplexidade.

O presidente do sindicato dos jogadores de futebol, Philippe Piat, por exemplo, disse que achou essa sentença "bizarra". "Se uma pessoa comum tivesse dado uma cabeçada, ela não seria condenada a um mês de cadeia", avaliou.

O jornal lembra ainda que Thiago Motta, que foi agredido por Brandão no vestiário e teve o nariz fraturado pela cabeçada, não prestou queixa. O seu clube, o PSG, também não.

Ex-treinador de Brandão diz que jogador era “gentil”

Mircea Lusescu, que já treinou Brandão no Donetsk na Ucrânia, também achou a pena "exagerada". "Acho que Brandão merecia uma longa suspensão, mas condená-lo à prisão em regime fechado é muito grave", disse ao jornal. Para ele, essa pena abre, inclusive, um precedente perigoso. "Se uma cabeçada merece um mês de cadeia, qual será, a partir de agora, a punição para um soco ou um chute?", pergunta o ex-treinador de Brandão.

Lusescu contou, aliás, que só guarda boas lembranças do brasileiro. "Um menino gentil, guerreiro. Nunca tive nenhum problema com ele."

Sobre o caso, Libération cita a defesa do advogado de Brandão, que disse que o jogador foi tomado por um "impulso repentino" quando agrediu Thiago Motta. O jornal lembra ainda que Brandão só volta a jogar no dia 22 de fevereiro.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.